Produção irrigada receberá mais investimentos no Tocantins
CI
Agronegócio

Produção irrigada receberá mais investimentos no Tocantins

Arroz, cultivado no Tocantins na época de inundações, é uma das principais culturas produzidas com subirrigação no Estado
Por:
Arroz, cultivado no Tocantins na época de inundações, é uma das principais culturas produzidas com subirrigação no Estado
O Governo do Estado prevê investimento de aproximadamente mais R$ 136 milhões para conclusão dos cinco projetos de irrigação em todo o Tocantins. Os recursos, que em boa parte já foram adquiridos, proporcionarão melhorias como drenagens, ampliação da eletrificação e suporte técnico a todos os produtores. A informação é do diretor de irrigação e drenagem da Seagro – Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Agrário, Diego Fernandes, que também falou sobre os incentivos que o Governo está buscando para atender a demanda necessária de recursos para começar ou ampliar a produção.

O Tocantins possui um potencial de mais de quatro milhões de hectares propícios para produção irrigada, área esta que corresponde a praticamente toda área utilizada atualmente no Brasil. Segundo Diego Fernandes, a produção do Estado está em apenas 90 mil hectares, mas este número será ampliado em mais 50 mil até 2015. “Temos uma produção muito variada, mas as principais culturas são arroz, que é cultivado na época de inundações e na seca a mesma área é utilizada para soja, que já se tornou referência para os outros estados pela qualidade dos grãos produzidos para sementes”, afirma o diretor, acrescentando que a tecnologia utilizada em todo o Estado é a subirrigação.

Pelo grande potencial que detém, o Tocantins tem recebido empresários de vários estados e de outros países, como Japão, França, Espanha e China, com interesses em produzir e comprar a produção tocantinense. “Mediante isso, os produtores estão motivados a aumentar sua produção, principalmente pelos investimentos que estão chegando com o empréstimo contraído junto ao BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) no valor de R$ 99 milhões, que também será usado para implementação do Prodoeste (Programa de Desenvolvimento do Sudoeste do Tocantins), que trabalha principalmente as áreas de várzeas”, ressalta Diego.

Além da política de incentivos fiscais já praticada pelo Governo do Estado junto aos milhares de produtores que trabalham com a agricultura irrigada, o Governo está criando o Fundo de Aval, que vai garantir recursos principalmente aos pequenos produtores. “Este Fundo está em fase de criação e está sob análise das secretarias da Fazenda e Planejamento e da Casa Civil e prevê a disponibilização de R$ 5 milhões para empréstimos”, destaca o diretor, acrescentando que a Seagro será a gestora do Fundo.

Segundo Diego, este Fundo vai evitar e resolver os problemas de falta de ocupação dos lotes que acontecem em todos os projetos. “As gestões anteriores não eram criteriosas na seleção dos produtores que ocupariam os projetos e temos uma série de lotes que possuem donos mas não foram ocupados, muitos por falta de infraestrutura como energia, já que os governos anteriores não cumpriram a sua parte, e muitos por falta de recursos dos próprios produtores, que agora poderão ser atendidos pelo Fundo”, enfatiza.

Próximos passos

Ainda segundo Diego, a Procuradoria Geral do Estado está analisando os processos para o lançamento de uma nova licitação de 23 lotes do projeto São João e até o dia 20 deste mês será entregue a nova substação de energia do projeto Manuel Alves, que atenderá toda a demanda carente.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink