Produtor pode ter prejuízo com o mercado de leite spot
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,782 (-0,26%)
| Dólar (compra) R$ 5,38 (2,78%)

Imagem: Marcel Oliveira

PECUÁRIA

Produtor pode ter prejuízo com o mercado de leite spot

Entidade defende que ação causa aumento da oferta e competição com os tradicionais fornecedores rastreados
Por:
787 acessos

Desde o início da pandemia causada pelo Coronavírus (Covid-19), a Associação dos Criadores de Gado Holandês do Rio Grande do Sul (Gadolando) tem manifestado a preocupação para que o leite produzido pelos produtores rurais seja recolhido pelas indústrias. No início de abril, a entidade esteve em contato com os representantes das indústrias que garantiram a manutenção das atividades junto aos produtores.

Segundo o presidente da Gadolando, Marcos Tang, em relação aos queijos, na sua grande maioria, são destinados a alimentação em Fast Food ou vendidos em pequenos mercados e beira de estradas, no qual a comercialização está menor. Assim, a principal destinação do produto vem sendo a para comercialização da bebida, na maior parte UHT, buscando fazer todo o faturamento sobre este produto. "O leite fica caro para o consumidor e nós, produtores, ficamos na mesma, com risco de baixar os preços", observa.

Para Tang, o fato pode acarretar em dois grandes problemas. O primeiro é o mercado de leite spot, aquele que é comercializado entre as indústrias. "Entendemos o desespero de quem só fazia queijo e não consegue vender, porém, acontece que este leite que vai de uma empresa para outra é o tal produto sem rastreabilidade ou com procedência de difícil controle, causando aumento da oferta e competição com os tradicionais fornecedores rastreados", destaca.

O presidente da Gadolando salienta que a entidade continua vigilante e solicita o empenho das indústrias para que o recolhimento seja mantido. "Não suportaríamos ficar sem vender nosso produto nem mesmo por alguns dias. Já estamos com a seca a nos castigar há 6 meses. Passada a pandemia continuaremos a nossa luta contra o leite spot. Leite deve vir do úbere da vaca para o resfriador, para o caminhão credenciado do laticínio onde o produtor é cadastrado, passando para industrialização e comércio. Tudo rastreado", finaliza o dirigente.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink