Produtores comemoram valorização do leite em SC

Agronegócio

Produtores comemoram valorização do leite em SC

Os investimentos estão colocando SC no posto de quinto maior produtor de leite
Por:
91 acessos

O preço do litro de leite nos supermercados, que atingiu patamares de até R$ 2,50 nos últimos meses, assustou os consumidores. Mas nos campos do Vale do Itajaí e do Estado o clima é de euforia, apesar de o produtor não receber nem a metade do valor cobrado no mercado. Os investimentos no setor estão quase colocando Santa Catarina no posto de quinto maior produtor de leite do país. Hoje, o Estado é o sexto.

A posição pode ser conquistada até o final do ano ou, no máximo, até 2009, segundo o engenheiro agrônomo do Centro de Socieconomia e Planejamento Agrícola (Cepa) da Epagri, Tabajara Marcondes. Ele estima que, no ano passado, a produção total de leite em Santa Catarina foi de 1,62 bilhão de litros, somando o volume recebido pelas indústrias e o restante consumido nas propriedades ou vendido informalmente. Ele estima que o leite movimenta R$ 900 milhões por ano em Santa Catarina somente com o que é pago pelas indústrias ao produtor, que é o valor bruto da produção.

Como São Paulo estabilizou a produção em 1,74 bilhão de litros e as pastagens sofrem com o avanço da cana-de-açúcar, a tendência é de que Santa Catarina avance no ranking. A previsão é de crescer acima de 5%, o que já ultrapassaria 1,7 bilhão neste ano. O clima de euforia também atingiu o Vale do Itajaí. O produtor blumenauense Waldemar Zibell conta que a produção de leite, que era de 50 litros por dia há quatro anos, hoje é de 250 litros.

Finalmente os produtores estão sendo valorizados. Temos apoio do governo do Estado com boas opções de financiamento e da associação local com ajudas nas pastagens - comemora Zibell. O presidente da Associação de Produtores de Leite Vale Germânia, Osni Otto, afirma que a baixa na produção no Exterior beneficia a atividade em Santa Catarina. O leite chegou a custar menos de R$ 0,40 o litro. Hoje tem produtores ganhando quase o dobro disso. A função das associações e cooperativas é ajudar, fornecendo veterinários e melhorando as pastagens - explica Otto.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink