Produtores de Alagoas discutem qualidade do arroz na Codevasf

Agronegócio

Produtores de Alagoas discutem qualidade do arroz na Codevasf

Qualidade de grãos de arroz no Baixo São Francisco alagoano
Por:
1351 acessos

“Qualidade de grãos de arroz no Baixo São Francisco alagoano” foi o tema do seminário que reuniu, no auditório da 5ª Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Penedo (AL), os segmentos que formam a cadeia produtiva da rizicultura na região. O objetivo foi discutir uma estratégia conjunta para melhoramento da qualidade do produto.

“É a oportunidade de criarmos uma força-tarefa para enfrentamento do problema e para a construção de soluções conjuntas e coletivas dos diversos atores que integram a cadeia produtiva da rizicultura na região”, resumiu o superintendente regional da Codevasf em Alagoas, Antônio Nelson de Azevedo. Representantes do segmento industrial da cadeia produtiva apontam dificuldades na aquisição de um arroz na região que atenda aos padrões de qualidade esperados pelo consumidor final.

“Quem sairá ganhando com essa força tarefa é o agricultor, que é quase sempre um rizicultor familiar”, frisou Antônio Nelson, acrescentando que a Codevasf vem dando sua contribuição efetiva para a recuperação da estrutura dos projetos de irrigação – a exemplo da substituição do maquinário da estação de bombeamento Ceci Cunha do projeto público de irrigação Boacica, um investimento federal de mais de R$ 10 milhões.

“Quando a Codevasf realiza esses investimentos, tem como foco agregar valor aos produtos produzidos nos projetos de irrigação para que sejam comercializados fora das fronteiras de Alagoas”, observou.

Para um dos organizadores do seminário, o analista em transferência de tecnologia da Embrapa Raimundo Rabelo, há uma grande preocupação quanto ao aumento de produção e de produtividade – preocupação que também deve ser direcionada à melhoria na qualidade dos grãos de arroz.

“Essa preocupação até bem pouco tempo não existia. Mas agora ela está bastante presente e com grande intensidade. Não se pode produzir sem se enquadrar no que o consumidor deseja. Os representantes da cadeia produtiva têm que se unir para enfrentar a questão”, defendeu Raimundo Rabelo.

O seminário Qualidade de grãos de arroz no Baixo São Francisco alagoano foi organizado pelas seguintes instituições que integram o APL Rizicultura do Baixo São Francisco: Sebrae/AL, Codevasf, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas (Sedetur/AL), Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri/AL), Emater/AL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Embrapa, Camil, Senar, Grupo Santana, prefeituras municipais de Igreja Nova, Penedo e Piaçabuçu e Governo do Estado de Alagoas.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink