Produtores de milho de Sergipe pedem renegociação de dívidas de crédito rural

Agronegócio

Produtores de milho de Sergipe pedem renegociação de dívidas de crédito rural

O estado é o segundo maior produtor de milho do Nordeste
Por:
1177 acessos

O estado é o segundo maior produtor de milho do Nordeste

Produtores de milho de Sergipe se reuniram, na manhã desta terça-feira (23/08), com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, para solicitar a renegociação de dívidas de operações de crédito rural de custeio. O estado é o segundo maior produtor de milho do Nordeste, mas a estiagem que afetou a safra 2016 fez o cenário mudar. Com a falta de chuva, mais de 70% da produção na região foi prejudicada, gerando um prejuízo de meio bilhão de reais. 

Durante a audiência com o ministro, os produtores afirmaram que as lavouras foram atingidas pela seca na fase de pendoamento do milho, quando os grãos estão sendo formados. “Em Sergipe, a safra de inverno é plantada no mês de maio. Em julho, as chuvas cessaram antes mesmo do pendão do milho estar completo e em algumas propriedades, a espiga sequer foi desenvolvida. Sem produção, não obtemos lucro e sem lucro, não conseguimos saldar a dívida dos contratos formalizados com o Banco do Nordeste (BNB) e Banco do Brasil”, explicou o produtor sergipano, Martinho Bravo. 

Segundo o superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SE), Denio Leite, que esteve no encontro representando a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Sergipe (FAESE), o pedido é semelhante ao dos produtores de soja e arroz do Rio Grande do Sul, que perderam a produção por conta de excesso de chuvas. “Nós trazemos esta demanda ao ministério para solicitar a prorrogação e parcelamento dos débitos de custeio dos produtores. Claro que não queríamos utilizar o Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e sim colher o grão, mas infelizmente não será possível”, explicou Denio. 

O ministro da Agricultura Blairo Maggi entendeu as demandas dos produtores sergipanos e afirmou que o ministério encaminhará um aviso de minuta ao Conselho Monetário Nacional (CMN) para o voto de renegociação de dívidas. Se aprovada, a minuta vira uma resolução e é incluída no Manual de Crédito Rural do Banco Central do Brasil (Bacen). 

Além dos produtores, do ministro e do representante da FAESE/SENAR, participaram do encontro em Brasília, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Neri Geller, os senadores Eduardo Amorim (PSC/SE) e Antônio Carlos Valadares (PSB/SE), o Superintendente Técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Bruno Lucchi e o assessor técnico da Comissão da Região Nordeste do Brasil da CNA, Joaci Medeiros.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink