Produtores de Minas Gerais e Espírito Santo se preocupam com excesso de chuvas na lavoura

CHUVAS

Produtores de Minas Gerais e Espírito Santo se preocupam com excesso de chuvas na lavoura

Com o excesso de chuvas, Minas Gerais e Espírito Santo, passam por períodos difíceis e preocupantes
Por:
738 acessos

Com o excesso de chuvas, Minas Gerais e Espírito Santo, passam por períodos difíceis e preocupantes. Produtores de café da Zona da Mata e do Sul do Espírito Santo apontam os prejuízos. No Espírito Santo, o agrônomo do Centro Tecnológico do Café (Cetcaf), Frederico de Almeida Daher, afirmou ao Estadão Conteúdo, que os centros urbanos e regiões próximas à beira de rios foram mais prejudicadas do que o campo, mas ainda é cedo para afirmar que não houve perdas nas lavouras.

Já na região de Manhuaçu, na Zona da Mata mineira, as chuvas prejudicaram as estradas, interrompendo temporariamente o transporte. Segundo o agrônomo da Cooperativa dos Cafeicultores da Região de Lajinha (Coocafé), Thiago Mesquita, a água chegou a invadir alguns armazéns de café, agricultores ainda estão limpando as instalações atingidas e os prejuízos não foram calculados. Nas lavouras, em contrapartida, não houve danos, em uma análise preliminar.

Embora as chuvas sejam favoráveis aos cafezais nesta época do ano, o volume registrado na última semana poderia provocar perdas na produção. A Somar Meteorologia afirma que a chuva deve permanecer em boa parte do Sudeste e ainda pode chover com acumulados expressivos entre o centro paulista, o Triângulo e o sul mineiro.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink