Produtores do PR participam de evento internacional sobre cafés especiais

Agronegócio

Produtores do PR participam de evento internacional sobre cafés especiais

Entre 28 de abril e 1º de maio, produtores marcam presença em feira nos Estados Unidos
Por: -Joana
1211 acessos
Os produtores de cafés especiais do norte pioneiro do Paraná avançam rumo ao mercado internacional. Eles participam, entre 28 de abril e 1º de maio, da 23ª edição da Feira da Associação Americana de Cafés Especiais (SCAA, em inglês), em Houston, Texas, nos Estados Unidos. Na ocasião, os produtores terão a oportunidade de mostrar a qualidade do grão produzido no Estado, para compradores japoneses, espanhóis, canadenses e norte-americanos – maiores consumidores de cafés especiais.


Odemir Capello, gestor do Programa de Cafés Especiais, promovido pelo Sebrae/PR e parceiros, a Feira da SCAA será uma porta de entrada para exportações diretas. “Houston é uma grande vitrine para os cafés especiais e será muito importante para estreitar o relacionamento com os compradores internacionais.” Segundo ele, o norte pioneiro cultiva 1.200.000 sacas de café arábica por ano e 20% da produção, em média, são destinadas para a comercialização no mercado externo, por meio de trandings.

Pela primeira vez, a ACENPP, a associação de cafés especiais da região, criada em 2008, irá participar de um dos maiores eventos do setor no mundo. A entidade, que reúne mais de 100 produtores, filou-se recentemente à Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA, sigla em inglês), que coordena a participação brasileira na SCAA. Além dos paranaenses, produtores do Espírito Santo e Minas Gerais também estarão presentes no evento.

O objetivo da ACENPP nos Estados Unidos será tornar o café especial produzido no norte pioneiro conhecido no mercado internacional. A intenção é atrair cada vez mais visitantes interessados em levar para o mercado externo o grão produzido no Paraná. “Será a primeira oportunidade para divulgar nosso café entre compradores do mundo inteiro. Nossa participação é uma estratégia de marketing. Buscamos o reconhecimento de nosso produto como um café de qualidade”, afirma.


Perspectivas

Algumas propriedades da Região já ganharam prêmios estaduais e nacionais de qualidade e exportaram café, como é o caso da Fazenda Califórnia, um dos destaques do Leilão do Cup of Excellence 2010, realizado em janeiro passado.
O café produzido na Fazenda Califórnia recebeu o oitavo maior lance do pregão no Leilão com o valor de US$ 8,25 por libra peso e foi arrematado pela empresa japonesa Marubeni Corporation – grande compradora de cafés no mercado japonês. A corporação adquiriu 19 sacas de 60 kg do produto paranaense, por US 20.734,48 - valor equivalente a R$34.668, adotando o fechamento de 24 de janeiro do dólar comercial (US$ 1,00 = R$ 1,672).

Para se ter uma ideia, o valor de US$ 8,25 de uma saca de 60 kg do café especial equivale a R$ 1831,06, enquanto um café normal, produzido na mesma região, tem cotação no mercado nacional em torno de R$ 350,00.

Propriedades

Alguns fatores que definem o café como especial envolvem tanto parâmetros tangíveis de qualidade da bebida, como a variedade, origem, aroma, fragrância, acidez, tratos culturais e beneficiamento, quanto intangíveis, como as condições em que os grãos foram produzidos ou até mesmo a preferência da pessoa que está, naquele momento, degustando o café. Podem também ser incluídos parâmetros de diferenciação que se relacionam à sustentabilidade econômica, ambiental e social da produção.

Em relação ao sabor, o café do norte pioneiro paranaense é classificado como leve, encorpado, com intenso aroma e sabor, doce, caramelado, com acidez moderada e levemente amargo. A região se destaca por sua altitude (acima de 500 metros), latitude (23º Sul) e temperaturas médias entre 20 e 22 graus.


Em pauta

O Brasil será o país-tema da SCAA em 2011. A coordenação da participação brasileira na Feira da SCAA é da BSCA, que trabalha no projeto em parceria com Apex-Brasil, Sebrae e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). A SCAA é a maior associação mundial do setor e seus integrantes representam mais de 40 países de todos os segmentos da indústria de cafés especiais, dos produtores aos torrefadores e varejistas.

Para a diretora executiva da BSCA, Vanúsia Nogueira, essa é uma oportunidade ímpar para a marca “Cafés do Brasil” ampliar seu leque de representação mundial. “O contrato com a SCAA para que o Brasil seja o país-tema tem vigência de setembro de 2010 a dezembro de 2011, período em que podemos explorar vários benefícios, como apresentação de filme na Feira, espaço nas publicações oficiais do evento para matérias e propaganda, direito a quatro palestras e, principalmente, sugestão de temas para o simpósio que antecede à feira”, detalha.

Segundo ela, há possibilidade que o Brasil tenha, além do estande institucional, um espaço reservado a reuniões, apoio da SCAA para evento especial, inclusão de brindes em sacolas, participação em pré-conferência online de marketing, e inserção de logomarca e link para acesso ao site Cafés do Brasil na página da SCAA. Mais informações no www.cafesdobrasil.com.br.


Asinformações são da assessoria de imprensa do Sebrae/PR.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink