Produtores e pesquisadores debatem sobre sistemas agroflorestais em Luziânia/GO

Agronegócio

Produtores e pesquisadores debatem sobre sistemas agroflorestais em Luziânia/GO

Divulgar técnicas para produzir alimentos e ao mesmo tempo diminuir os danos ao meio ambiente. Este é o objetivo do 7º Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais
Por:
321 acessos

Produtores e pesquisadores de vários países estão participando de um congresso sobre sistemas agroflorestais em Luziânia, Goiás.

Divulgar técnicas para produzir alimentos e ao mesmo tempo diminuir os danos ao meio ambiente. Este é o objetivo do 7º Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais.

A pequena horta mostra como funciona um sistema agroflorestal. Em um espaço de nove metros quadrados estão mais de 30 espécies de alimentos e árvores plantadas.

"A gente tem mamão que, daqui a seis meses, será colhido. E depois, será criada uma bananeira em cima. Daqui a um ano, a gente tem banana produzindo, soltando cacho. E a gente pode plantar um pé de café, de jussara que são excelentes plantas criadas com bananeiras", explicou Juã Pereira, técnico em sistemas agroflorestais.

Além da parte prática, estudantes, produtores, pesquisadores brasileiros e de outros países assistem a conferências. Ao todo, serão 78 palestras. Para o coordenador do congresso, é uma troca de informações entre quem vive no dia a dia o cultivo de alimentos e pessoas que passam anos pesquisando formas de melhorar esta produção.

"O homem vive no ambiente. Então, se não tomar conta daquele recurso que a natureza oferece, que são solo e água com qualidade; se plantar desordenadamente, ele terá insustentabilidade no plantio. Logo o solo estará perdido e logo não terá água para irrigar a plantação. O produtor está percebendo que se não tiver este recurso natural, que é o solo e a água, ele não vai ter planta para ganhar dinheiro”, concluiu o biólogo Felipe Ribeiro.

O encontro termina na sexta-feira. No final do Congresso, as propostas apresentadas para diminuir o impacto ambiental na produção de alimentos serão encaminhadas ao governo.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink