Soja

Produtores intensificam plantio e soja ocupará 3.350 hectares

O regime de chuva regularizado e as altas temperaturas foram favoráveis para os trabalhos com a soja
Por:
99 acessos

Devido à melhora nas condições meteorológicas, com o retorno da umidade no solo a níveis apropriados aos trabalhos de plantio, as culturas de verão tiveram aumento na área semeada na última e no início desta semana.

O regime de chuva regularizado e as altas temperaturas foram favoráveis para os trabalhos com a soja. Nos últimos dias, os produtores intensificaram a semeadura da oleaginosa no município e estimativas do escritório municipal da Emater/RS-Ascar, são de que até o momento, foram plantados mais de 250 hectares dos 3.350 hectares previstos para safra e safrinha. A área nesta safra é 200 hectares maior em relação à safra passada quando somou 3.150 hectares. A expectativa de rendimento é de 3.350 quilos por hectares, também superior à última safra, quando foram colhidos 3.180 quilos por hectare. O número de produtores é o mesmo - 138. Os que possuem a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), comercializam a oleaginosa para as empresas de moagem e os demais para as cooperativas da região que trabalham com exportação.

Diversidade

Tendo a produção de grãos como atividade principal, o produtor Alexandre Wenzel, morador de Vila Palanque, está entre os produtores que intensificaram o plantio de soja desta safra. Os 15 hectares localizados em Vila Palanque plantou na semana passada e desde a segunda-feira, 13, está plantando a oleaginosa nos 94 hectares localizados nos municípios de Vale Verde (na divisa com Venâncio Aires) e General Câmara. A área plantada nesta safra é bem superior à da safra passada, que somou 67 hectares, com uma produtividade média de 50 sacos por hectare e Wenzel tem a expectativa de colher uma safra cheia, o que vai depender, porém, das condições climáticas favoráveis.

A soja na área de Vila Palanque, Wenzel plantou na resteva do trigo, cuja cultura teve um rendimento não superior a 20 sacos por hectare. Também nesta safra, ele plantou 12 hectares de milho e ao falar do por quê de investir tão forte na soja, Wenzel afirma que ela proporciona uma melhor rentabilidade - o valor do saco hoje está em R$ 62 a R$ 63, enquanto o do milho está cotado em R$ 22 o saco. Além disso, observa o produtor, o custo de produção da soja está em R$ 1,5 mil o hectare enquanto o do milho varia entre R$ 2,5 e R$ 2,8 mil o hectare. 'Também invisto na produção de soja porque gosto de estar na lavoura, de mexer com as máquinas, me identifico como produtor desta oleaginosa e ainda, porque tenho e recebo o apoio do meu pai Alceu', salienta. Sobre a escolha de plantar áreas em outros municípios, Wenzel coloca que é em função de serem maiores e com preços de arrendamento mais acessíveis.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink