Produtores podem perder R$ 86 bilhões sem tecnologia Bt

PESQUISA

Produtores podem perder R$ 86 bilhões sem tecnologia Bt

A tecnologia Bt rende um lucro adicional de R$ 21,5 bilhões para os agricultores
Por: -Leonardo Gottems
913 acessos

Um levantamento realizado pelo Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB) e pela Agroconsult indicou que os produtores brasileiros podem perder cerca de R$ 86 bilhões em 10 anos sem as sementes resistentes a insetos (Bt). O estudo “Impactos econômicos e socioambientais da tecnologia de resistência a insetos no Brasil: Análise histórica, perspectivas e desafios futuros” engloba dados de 2005 a 2018 e mostra que a tecnologia Bt rende um lucro adicional de R$ 21,5 bilhões para os agricultores. 

Além disso, o estudo informou também que, dentro do período de avaliação, foram produzidas 55,4 milhões de toneladas a mais de algodão, soja e milho, que são as culturas beneficiadas com a tecnologia no Brasil. De acordo com os realizadores do levantamento, esse montante poderá ser acrescido de 107,1 milhões de toneladas de grãos e fibras na próxima década, caso a tecnologia não perca força. 

Outro dado coletado pelo levantamento inédito está relacionando com a preservação do meio ambiente, uma demanda cada vez mais crescente na realidade atual, que também “flerta” com uma necessidade maior de produção alimentícia. Nesse cenário, o CIB informou que o uso de cultivos transgênicos diminui consideravelmente a aplicação de defensivos químicos nas lavouras. 

“Desde 2005 até 2018, o cultivo de plantas Bt contribuiu para reduzir em 122 mil toneladas o volume de inseticidas aplicados no campo, ou praticamente 50 mil toneladas de ingrediente ativo. Com essa economia, menos maquinário foi usado e não foram usados 144 milhões de litros de combustível, ou o equivalente a retirada de 96 milhões de carros das ruas por um ano. Para a próxima década, essa contribuição sustentável poderá ser ainda maior, já que a previsão é que sejam economizados mais 294 milhões de toneladas de inseticidas”, disse em nota divulgada para a imprensa. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink