Profissionais de MT aperfeiçoam técnicas de propagação in vitro em SE

Agronegócio

Profissionais de MT aperfeiçoam técnicas de propagação in vitro em SE

Técnicas podem ser ótimas soluções para culturas dizimadas por pragas e doenças
Por: -Joana
1533 acessos
A produção de mudas in vitro em larga escala e o domínio da técnica de cultura de tecidos em laboratório, técnicas já bem dominadas em Sergipe, podem ser ótimas soluções para culturas dizimadas por pragas e doenças.

É também por esse motivo que dois técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (EMPAER-MT) estiveram na Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE) para treinamento no Laboratório de Cultura de Tecidos de Plantas na semana de 6 a 10 de junho.

Assim, o engenheiro agrônomo Elder Cassimiro da Silva e a bióloga Lefayete Michele pretendem aperfeiçoar a técnica de cultura de tecidos para produção em larga escala de mudas de diversas cultivares, inclusive de banana, cultura em que o Estado de Mato Grosso foi muito afetada na produção devido à incidência da doenças como Sigatoka Amarela e Negra.

“Como a Embrapa tem cultivares resistentes a esses fungos, pretendemos produzir mudas in vitro resistentes a Sigatoka e, através de programas do Governo do Estado de Mato Grosso, distribuí-las, principalmente aos agricultores familiares”, explica o engenheiro Elder.

Os profissionais têm os mesmos objetivos de produção de mudas em larga escala para o cultivo de flores tropicais como helicônia, antúrio e bromélia, cujas mudas cultivadas in vitro também serão destinadas à agricultura familiar para o comércio crescente de flores. Essas cultivares são objeto de estudos da pesquisadora Eliane Maria Forte Daltro, coordenadora de Pesquisa da Empaer-MT.

A principal vantagem das mudas produzidas em laboratório através da técnica de propagação in vitro é o fato delas crescerem sadias em ambiente esterilizado, além de serem nutridas em solução em gel com todos os elementos necessários ao seu pleno desenvolvimento. Uma muda sadia e resistente tem muito mais condições de continuar sadia e produtiva, atendendo às expectativas do mercado.

Sob treinamento supervisionado pela pesquisadora Ana Ledo e instruções do técnico Inácio Roque, os profissionais visitantes observaram as etapas da cultura de tecidos, desde o preparo de soluções estoques de meio de cultura, material para assepsia e inoculação, repicagem de culturas e micropropagação de abacaxi, banana, antúrio, bromélia e helicônia.

O curso se encerrou na sexta-feira com uma visita à Biofábrica de mudas (BiomudaSE) do Parque Tecnológico de Sergipe (SergipeTec) e ao Laboratório de Apoio Tecnológico, que ocupam área da Universidade Federal de Sergipe (UFS).


As informações são da assessorai de imprensa da Embrapa Tabuleiros Costeiros

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink