Programa de Aprendizagem do Crescer Legal é apresentado em evento internacional de produtores de tabaco

Tabaco

Programa de Aprendizagem do Crescer Legal é apresentado em evento internacional de produtores de tabaco

Assembleia Anual da Associação Internacional dos Produtores de Tabaco (ITGA) teve palestra do diretor presidente do Instituto Crescer Legal, Iro Schünke
Por:
162 acessos

O programa de aprendizagem profissional rural do Instituto Crescer Legal foi tema de apresentação durante a 33ª Assembleia Anual da ITGA (International Tobacco Grower's Association), realizado nesta segunda e terça-feira, dias 22 e 23 de outubro, em Santa Cruz do Sul. Ao iniciar a palestra, o diretor presidente do Instituto, Iro Schünke, disse que falaria sobre uma ação que está passos à frente em relação à sustentabilidade por tratar de educação e desenvolvimento dos jovens do meio rural. Após, ele mostrou a trajetória das atividades do setor do tabaco no combate ao trabalho infantil, iniciadas em 1998 com a criação do projeto "O Futuro é Agora", até os dias atuais, com as ações do Instituto Crescer Legal. "Em 2011, ampliamos nosso foco para os adolescentes para nos adequarmos à legislação, que estendeu a proibição de trabalho na lavoura de 16 para 18 anos de idade", relatou. 

"Com o tempo, percebemos que haviam lacunas, como a falta de ocupação para os jovens do meio rural", contou Iro Schünke. Por isso, em 2015, com a criação do Instituto Crescer Legal (entidade de direito privado), houve incremento na oferta de oportunidades aos adolescentes, combatendo o trabalho de menores por meio da profissionalização e geração de renda e com o objetivo de que a sucessão rural se dê com sustentabilidade. "Para isso, criamos o Programa de Aprendizagem Profissional Rural com a oportunidade de os jovens rurais serem contratados como aprendizes para frequentarem cursos de empreendedorismo e gestão rural em escolas parceiras de localidades do interior", explicou. 

Schünke relatou que a primeira edição do curso de aprendizagem atendeu 100 jovens de cinco municípios. E, atualmente, 130 aprendizes rurais estão frequentando o curso. "Para a segunda edição, selecionamos filhos de produtores de tabaco de localidades onde as pesquisas mostravam mais vulnerabilidade", disse. Conforme o executivo, os eixos curriculares do programa de aprendizagem são direcionados ao estudo e análise das propriedades; diagnóstico dos municípios e da região com estudos de arranjos produtivos locais; mapeamento de parcerias estratégicas; desenvolvimento de trabalho com as famílias e comunidades; e estudos de viabilidade de desenvolvimento de produtos. "Durante o curso, eles fazem viagens de estudo e diversas outras atividades junto às suas famílias e às comunidades e, com isso, vão alargando seus horizontes", contou. 

O diretor presidente do Instituto Crescer Legal também lembrou que outra ação do Programa de Aprendizagem é o "Nós por Elas - A voz feminina do campo" (realizado em parceria com o curso de Comunicação Social da Universidade de Santa Cruz do Sul), pelo qual as meninas egressas criam conteúdos para rádio, que são veiculados em programas de entidades parceiras do Instituto e nas mídias sociais. "As temáticas são de vivências dos jovens do campo e os programas são jovens falando para jovens", acrescentou.

Evento - A 33ª Assembleia Anual da ITGA está sendo realizada com o apoio da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) e conta com representantes da África do Sul, Argentina, Brasil, Colômbia, Estados Unidos, Índia, Inglaterra, Itália, Malawi, Portugal, Suíça, Zâmbia e Zimbabwe. Na segunda-feira, além de Iro Schünke, também houve palestras com Jairo João Carbonari, chefe da Divisão de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura; Steve Griffin e Grahm Boid, da Associação dos Produtores de Tabaco da Carolina do Norte; e Shane MacGuill, analista da Euromonitor Internacional, que falou sobre as tendências globais dos produtos de tabaco. Outros palestrantes foram Mayiwepi Jitti, vice-presidente do Sindicato dos Produtores Comerciais do Zimbabwe; Valter Bianchini, Oficial Nacional de Programas da FAO, que falou sobre perspectivas para a produção de alimentos; Antônio Carlos Simões Florido, coordenador nacional do Censo Agropecuário 2017, que apresentou dados do setor primário brasileiro; Gustavo Spadotti Amaral Castro, supervisor do Grupo de Gestão Territorial Estratégica, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que falou sobre o papel dos agricultores na preservação ambiental brasileira; e António Abrunhosa, diretor-executivo da ITGA, que ministrou palestra sobre a oferta e procura do tabaco no mundo. Nesta terça, a programação segue com discussões internas acerca das ações da Associação Internacional dos Produtores de Tabaco.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink