Programa Mulheres Cooperativistas formou mais de 300 participantes
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,622 (-0,93%)
| Dólar (compra) R$ 5,53 (-0,43%)

Imagem: Marcel Oliveira

FORMAÇÃO

Programa Mulheres Cooperativistas formou mais de 300 participantes

Dados da OCESC revelam que há uma expressiva participação feminina no cooperativismo catarinense
Por:
235 acessos

“Entendi bem o que é cooperativismo e isso mudou muita coisa na minha vida. Esse programa veio para abrir novos caminhos nas nossas vidas e nos nossos trabalhos”. Depoimentos como o da cooperada da Coopervil, Maristela Lisot, repletos de emoção e gratidão, são frequentes entre mulheres que passam pela formação do Programa Mulheres Cooperativistas. 

Em 2019, o Programa, desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP/SC), transformou a vida de 354 mulheres em 12 cooperativas catarinenses. A formação é dividida em seis módulos e tem o objetivo de promover a educação cooperativista e, consequentemente, a participação feminina no quadro social das cooperativas. Além disso, consegue fomentar o protagonismo e incentivar a liderança feminina. 

Dados da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) revelam que, de fato, há uma expressiva participação feminina no cooperativismo catarinense. Afinal, 936.597 cooperados são mulheres, número que equivale a 38% do total. “Reconhecemos a importância da participação feminina nas cooperativas de Santa Catarina, seja na área produtiva ou administrativa. Neste sentido, o Programa Mulheres Cooperativistas atua para integrar as mulheres no dia a dia das cooperativas e torná-las mais atuantes. Isto tem dado resultados positivos para o crescimento das cooperativas”, destaca o presidente do SESCOOP/SC, Luiz Vicente Suzin.

Em 2019, as cooperativas participantes foram: Auriverde, Cooperitaipu, Cooperalfa, Cooperja, Cooperjuriti, Coopervil/Sicoob Vale do Vinho, Cravil, Sicoob Crediaraucária, Sicoob Creditapiranga e Sicoob Credivale. O vice-presidente e coordenador de Promoção Social no Sicoob Crediaraucária, João Frischembruder, acredita que a experiência superou as expectativas: “Quando a gente trabalha com os dois lados, homem e mulher, temos uma visão mais ampla e conseguimos fazer um trabalho mais cooperativo”. A cooperativa formou sua primeira turma do programa em julho, entregando o diploma a 27 mulheres. Após a formação, um núcleo feminino é constituído em cada cooperativa para continuar estimulando a participação feminina. 

Para as mulheres formadas, além de aprimorar os conhecimentos sobre o sistema cooperativista, o programa promove o autoconhecimento e a melhora nas relações familiares. “O programa trabalha bastante o pessoal, o ser humano. Aprendemos como é importante se conhecer e se valorizar e, quando você está bem consigo, você trabalha mais os negócios. Eu tive uma mudança significativa no meu posicionamento”, enfatiza a comerciante e cooperada do Sicoob Creditapiranga, Mirele Ritter Grutzman, que recebeu o diploma em outubro. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink