Projeto de valorização da água em pulverizações agrícolas será apresentado pela BASF e IAC em SP
CI
Agronegócio

Projeto de valorização da água em pulverizações agrícolas será apresentado pela BASF e IAC em SP

Projeto PROVAR visa reduzir o volume de calda nas aplicações de herbicidas em cana, com ganhos econômicos e ambientais
Por: -Janice

Com objetivo de atender necessidades do mercado por novas tecnologias, e com a busca por redução de custos para o setor sucroalcooleiro, a BASF, uma das principais fabricantes de defensivos agrícolas do País, juntamente com o Instituto Agronômico de Campinas (IAC) e Usinas de São Paulo iniciaram uma parceria no Projeto PROVAR - Programa de Valorização da Água em Pulverizações Agrícolas.

Iniciados em junho deste ano, os ensaios do PROVAR vêm sendo feitos em áreas comerciais de seis usinas do estado. As avaliações consideram a utilização de menores volumes de água na aplicação, com uso do herbicida Plateau®, da BASF, em diferentes épocas do ano (início, meio e fim da safra), durante 3 anos.

Plateau® é destinado à soqueira (lavoura de cana-de-açúcar após o primeiro ano de colheita) e pode ser aplicado tanto no período seco como úmido, ao contrário dos herbicidas comuns, que só podem ser aplicados na época úmida. “Nos últimos anos, a BASF vem trabalhando no desenvolvimento de novas moléculas que possibilitaram ao setor agregar produtividade e eficiência ao sistema produtivo da cana, e com o Plateau® foi criada uma nova modalidade de uso, podendo ser aplicado no período seco. Pela eficácia já comprovada, o herbicida foi escolhido para a pesquisa do PROVAR, avaliado com diferentes volumes de calda, tamanhos de gotas e épocas de aplicação”, explica Redson Vieira, Gerente de Marketing de Cana e Amendoim de Proteção de Cultivos da BASF.

Coordenado pelo Diretor do Centro de Engenharia e Automação do IAC, Hamilton Ramos, o PROVAR almeja medir a eficiência proporcionada pela adoção de menores volumes de água na aplicação do herbicida em pré-emergência na cana-de-açúcar durante três épocas do ano, principalmente em ganhos econômicos e de tempo. “O maior desperdício está na quantidade de água utilizada para se colocar o herbicida. Quanto maior o volume de água, menor o rendimento operacional dos pulverizadores e maior o custo do seu transporte. Assim, a adequação do volume de água pode reduzir sensivelmente o custo de aplicação de herbicidas“, enfatiza Ramos.

Resultados do PROVAR serão apresentados no SINTAG

De 15 a 17 de outubro, acontecerá em Ribeirão Preto (SP) o IV SINTAG - Simpósio Internacional de Tecnologia de Aplicação de Agrotóxico, com o tema “Segurança em tecnologia de aplicação“. Durante o evento serão apresentados os resultados preliminares alcançados no estudo com a redução no volume de calda do Projeto PROVAR. “Os resultados obtidos até o momento demonstram que é possível obter melhorias no rendimento operacional das pulverizações e reduzir, no mínimo, em 25% o volume de calda. Hoje o volume médio de água utilizada pelas usinas varia de 200 a 300 litros por hectare, o objetivo do estudo é chegar a uma redução entre 50 e 75% desse volume”, ressalta Hamilton Ramos.

Outros ganhos também estão sendo avaliados como: redução no custo de transporte, aumento da capacidade de pulverização e benefícios ambientais. Segundo Fernando Soares B. Cruz, coordenador de tratos culturais do grupo Santelisa Vale, a redução no volume de calda de pulverização proporciona ganhos de rendimento operacional quando associada à manutenção e melhoria na qualidade da aplicação, sem comprometer a distribuição e eficácia do produto. “Isso implica em ganhos de rendimento nas operações e diminuição no número de máquinas (tratores, pulverizadores e caminhões-tanques) e de operadores por área tratada, otimizando os custos operacionais de aplicação. Além de estarmos utilizando os recursos hídricos de forma responsável e consciente”, explica Cruz.

Segundo cálculos do IAC, em uma área de 15 mil hectares plantados, há uma perda estimada de R$ 22 mil por safra. “Além da redução de custos (R$/ha), o grande ganho do projeto é ambiental. Desta forma, estamos contribuindo com o uso racional da água na agricultura, uma preocupação que faz parte dos valores da BASF“, destaca Redson Vieira.

Outras Informações sobre o Simpósio no www.sintag.com.br . As informações são da assessoria de imprensa da BASF.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.