Projeto inédito prevê extensão do Programa ATeG para egressos
CI
Imagem: Divulgação
ATeG

Projeto inédito prevê extensão do Programa ATeG para egressos

ATeG promete agradar produtores cujo atendimento está chegando ao fim
Por:

Uma novidade no Programa de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG promete agradar produtores cujo atendimento está chegando ao fim. A Coordenadoria de Assistência Técnica do Sistema FAEMG/SENAR/INAES iniciou discussão esta semana, junto aos gerentes regionais, sobre a possível extensão do trabalho com os produtores egressos, de forma a consolidar as conquistas obtidas durante o primeiro ciclo de assistência e acompanhar outros indicadores do desempenho da propriedade.

De acordo com o coordenador técnico Bruno Rocha de Melo, a demanda por uma alternativa como essa vem sendo observada há algum tempo. Dentre os principais objetivos do projeto, estão proporcionar um período de transição entre o fim da assistência técnica e a independência do produtor para que ele se sinta seguro para gerenciar seu negócio sem o técnico, dar suporte ao produtor para manter os resultados positivos conquistados e reconhecer o esforço daqueles que se engajaram desde o começo do trabalho.

Os produtores selecionados para esse segundo ciclo de atendimento seriam conduzidos pelo mesmo técnico que os acompanhou no ciclo inicial. O período de atendimento seria igual ao do ciclo inicial, dois ou quatro anos, conforme a cadeia produtiva - o que muda são as visitas à propriedade, que passariam a ser trimestrais. O projeto vai além: “o objetivo é contemplar também ações de agregação de valor e regularidade, como a obtenção de certificações, registros sanitários e evoluções no âmbito da sustentabilidade”, detalha Bruno Rocha.

Acompanhamento e aprimoramento

O vínculo com os egressos também daria ao SENAR MINAS meios para continuar as análises dos indicadores do Programa ATeG. Os dados mostrariam se a transformação foi duradoura e como a propriedade está evoluindo, além de direcionar melhorias nos serviços prestados. “Esperamos que as conquistas desses produtores se perpetuem, sendo que muitos ainda têm margem para crescer mais. Queremos evitar a estagnação ou, pior, a involução desses resultados. A continuidade do negócio gera efeitos diretos na economia local e no bem-estar da família”, analisa Bruno Rocha.

O projeto foi discutido em reunião com os gerentes das dez regionais do Sistema FAEMG/SENAR/INAES e as ações podem iniciar já em março. O grupo também debateu outras melhorias para o programa de forma geral, como o aprimoramento do treinamento da equipe técnica e parcerias para a continuidade dos grupos. Outra grande proposta é reforçar as ferramentas digitais, para que os técnicos tenham mais qualidade no suporte remoto aos produtores e possam gerenciar essas informações.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink