Projeto prevê aumento da atividade leiteira

Agronegócio

Projeto prevê aumento da atividade leiteira

O Projeto Pec Leite quer tornar a bovinocultura leiteira uma alternativa de renda para os produtores de Cascavel
Por:
266 acessos

Além do turismo e da cajucultura, a partir de agora, a bovinocultura leiteira passa a ser uma alternativa palpável de renda para os produtores da região de Cascavel. É o que prevê o Projeto Pec Leite, que chega ao Ceará graças a um convênio firmado, ontem, no auditório da Faec, entre Sebrae-CE, Federação da Agricultura do Estado do Ceará (Faec) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

Com meta de, até dezembro de 2009, atender 80 produtores rurais da região de Cascavel, aumentando a produção diária de leite de 3 mil para 4 mil litros de leite por dia, o projeto prevê, até o fim de 2010, aumentar a produtividade média por vaca de 3,05 litros de leite por dia para 7 litros e chegar a uma produção regional de 10 mil litros por dia.

O convênio define, ainda, até o fim de 2009, a implantação, na região, de uma agroindústria para a fabricação de queijos finos, tipo exportação e, até 2010, a introdução, no rebanho do município, de 250 novilhas de alto padrão genético. Para o presidente da Faec, Torres de Melo, um dos objetivos ao instalar este projeto piloto do Pec Leite em Cascavel é mudar o perfil econômico da região. “Não é comum a existência da bovinocultura leiteira no litoral do Ceará, apesar de ser uma região boa para isso, por causa da água abundante. Com este projeto, estamos oferecendo uma alternativa econômica para a região, além de atendermos uma demanda já instalada. Temos lá um laticínio com uma demanda de oito mil litros de leite por dia, que está processando, apenas, 800 litros de leite por dia”.

O diretor técnico do Sebrae-CE, Alci Porto, reforçou que a escolha de Cascavel fundamentou-se, também, em critérios técnicos. “O município foi um dos que deu melhor resposta a um outro projeto do Sebrae, Faec e Senar, que foi o Programa Empreendedor Rural (PER). Além disso, para se instalar um projeto-piloto é necessário que a região mantenha uma média de produtividade e produção. Daí, a escolha de Cascavel”, enfatizou.

Alci Porto enfatizou, ainda que, conforme os resultados, o projeto deverá, depois, chegar às grandes regiões produtoras de leite do Estado, como os municípios de Jaguaribe e Morada Nova, e a outros municípios que vêm se destacando pelo potencial como Crateús, na Região dos Inhamuns, e Brejo Santo, no Cariri.

Para o superintendente do Senar-CE, Flávio Sabóia, há um grande déficit de leite no Ceará. “Este déficit gira em torno de 25%, com base numa produção estimada em 1 milhão e 200 mil litros de leite. Além disso, especificamente na região onde se insere Cascavel, existem laticínios comprando de fora da própria região, como os de Caucaia, que importam o produto de Itapajé e, até, Quixeramobim, quando o melhor seria adquirir o produto com, no máximo, 100 quilômetros de distância”, ressaltou.

O projeto Pec Leite prevê, também, uma equipe técnica formada por engenheiros agrônomos, médicos veterinários, zootecnistas e técnicos agrícolas, que serão capacitados sobre as novas tecnologias a serem implantadas nas propriedades do município. Inicialmente, a equipe vai diagnosticar a situação atual dos produtores sob aspectos zootécnicos, econômico, gerencial e, também, ambiental.

A partir deste diagnóstico, acontecerão os trabalhos de assistência técnica, com foco na melhoria do manejo do rebanho, qualidade do leite etc.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink