Promip estende uso do Macromip Max para controle biológico do ácaro rajado no tomate

Agronegócio

Promip estende uso do Macromip Max para controle biológico do ácaro rajado no tomate

Predador não deixa resíduos
Por: -Leonardo Gottems
2209 acessos

A Promip anunciou o lançamento do Macromip Max para o controle biológico do ácaro rajado em tomateiro. A solução tem como agente biológico o ácaro predador Phytoseiulus macropils (de cor avermelhada).

De acordo com a fabricante, o que torna o ácaros predador Phytoselius macropilis mais eficiente é sua estrutura corporal, que permite uma rápida locomoção na planta de tomate. Com isso, o agente biológico vai ao encontro e alcança o alvo em qualquer lugar da folha para eliminá-lo. 

O ácaro rajado é a única fonte de alimentação deste predador, e o consome em todas as suas fases de desenvolvimento. De acordo com os testes, o Phytoselius macropilis pode comer até 40 ovos ou ninfas por dia sem produzir resíduos.

“Devido ao uso excessivo de acaricidas químicos, o ácaro rajado tornou-se resistente a diversas moléculas, o que dificulta o controle de pragas no cultivo de tomate. Neste sentido, o Macromip Max pode revolucionar o setor e melhorar a produtividade dos agricultores”, afirmou o CEO da Promip, Marcelo Poletti, à Revista Cultivar.

“Há anos o Macromip Max vem sendo comercializado pela Promip levando aos produtores um controle rápido e eficiente do ácaro rajado nas mais diversas culturas, como ornamentais, cultivos extensivos e hortaliças. Agora, a solução pode ser aplicada também ao tomate, o que irá revolucionar a produção do agricultor, aumentando a produtividade e atendendo ao desejo por uma agricultura mais sustentável”, conclui.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink