Quebra no milho deixa a carne cara

Agronegócio

Quebra no milho deixa a carne cara

Suínos e aves devem ter um incremento de 50% até o final do ano
Por:
423 acessos

A quebra na safra do milho, principalmente no Sul do país, deve atingir os criadores de suínos, aves e bovinos, e, em consequência, o consumidor. O fato deve encarecer o produto, aumentando o custo de produção para os criadores e o preço das carnes e leite para o consumidor.

Para o vice-presidente da Federação da Agricultura de Santa Catarina, Enori Barbieri, o preço das carnes, principalmente de suínos e aves, deve aumentar cerca de 50% até o final do ano.

Ele afirmou que o preço da proteína está defasado em virtude da crise mundial.

– Já vi carne suína a menos de R$ 4 o quilo no supermercado quando o normal é custar o dobro.

Segundo estimativa da Faesc, Santa Catarina – maior produtor de carne suína e o segundo maior de frangos – deverá registrar um déficit de 2 milhões de toneladas de milho entre a produção e o consumo. Com isso haverá um aumento no custo de produção para trazer o cereal da região Centro-Oeste.

– Não haverá falta de milho no Brasil, mas o custo de transporte para o Sul é de R$ 10 a saca – disse Barbieri.

Ele também está preocupado com uma provável redução de área plantada na próxima safra.

– O governo tem que incentivar o plantio de milho senão poderá haver desabastecimento em 2010 – previu o dirigente.

O agricultor Márcio Guaragni, da linha Faxinal dos Rosas, no interior de Chapecó, disse que o custo de produção do leite aumentou de R$ 0,30 para R$ 0,50 por litro em virtude da estiagem.

Sem pasto e grão, produtor apela para compra de ração

Sem pasto e com a quebra de 50% na safra de milho, ele está comprando 2,2 mil quilos de ração por mês, o dobro do que normalmente usava no período. Além disso, teve que antecipar o uso da silagem de milho.

Apesar do aumento do leite nos supermercados ter sido de mais de 30%, o produtor teve um reajuste inferior a 10%.

– Tivemos um aumento de R$ 0,62 para R$ 0,67– disse Guaragni.

O presidente da Associação dos Criadores de Suínos de Santa Catarina, Wolmir de Souza, afirma que, além da quebra na safra de milho, há especulação em relação ao preço do produto. Segundo ele, a saca de milho de 60 quilos já aumentou de R$ 20 para um patamar entre R$ 24 e R$ 25 para o suinocultor.

E o preço do suíno também deve aumentar em função da retomada das exportações para a Rússia, aumento do consumo interno com o frio e aumento no custo de produção.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink