Rebanho de 14 municípios da fronteira do MS pode ser rastreado
CI
Agronegócio

Rebanho de 14 municípios da fronteira do MS pode ser rastreado

O rebanho bovino localizado na fronteira com o Paraguai e a Bolívia deverão integrar uma Área de Vigilância Especial
Por:

O rebanho bovino dos 14 municípios sul-mato-grossenses, localizados na fronteira com o Paraguai e a Bolívia, também deverão ter tratamento sanitário diferenciado e integrar uma Área de Vigilância Especial que, além da ampliação das ações preventivas contra a febre aftosa, prevê o rastreamento de todos os animais criados na região. As informações foram divulgadas nessa terça-feira (13-02) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Segundo o secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, Gabriel Alves Maciel, o Ministério da Agricultura publicará, nos próximos dias, uma instrução normativa detalhando as ações sanitárias que serão adotadas em Mato Grosso do Sul para conter a eventual circulação do vírus da febre aftosa nos municípios de Japorã, Eldorado e Mundo Novo.

Exames sorológicos realizados nos últimos meses em bovinos da região levantaram a suspeita de circulação do vírus da doença nos três municípios, mas eliminaram a possibilidade de alastramento do vírus a outras regiões de MS, devido aos trabalhos realizados no Sul do Estado para conter a doença.

Em posse dos dados dos exames de circulação viral, autoridades do Estado e do Ministério da Agricultura se reuniram no último sábado para discutir as ações que deverão ser encampadas nos três municípios, que formam a Área de Proteção e Vigilância Especial, onde foram registrados focos em 2005.

No entanto, nessa terça-feira, o Ministério da Agricultura sinalizou que outra Área de Vigilância Especial deverá ser criada, envolvendo todos os 14 municípios da fronteira internacional. A previsão é que os animais dos 14 municípios fronteiriços sejam rastreados e todo o rebanho deverá ser cadastrado na Base Eletrônica de Dados do Mapa.

Segredo

Em Mato Grosso do Sul, as autoridades sanitárias ainda evitam revelar detalhes sobre os planos sanitários que prevêem a rastreabilidade do gado criado nos municípios de fronteira, argumentando que o assunto é complexo e ainda precisa ser estruturado para não "assustar" os criadores da região. Ainda assim, fontes ligadas às entidades sanitárias confirmam a pretensão de rastrear todo o gado dos 14 municípios.

Os abates sanitários dos bovinos reagentes localizados nos municípios de Japorã, Eldorado e Mundo Novo estão agendados para esta quarta-feira (14-02).


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink