Região de Cornélio Procópio contribuiu para uma safra recorde de trigo em 2008
CI
Agronegócio

Região de Cornélio Procópio contribuiu para uma safra recorde de trigo em 2008

Paraná responde por 53% da produção nacional de trigo
Por:

Em entrevista concedida ao nosso site de notícias, o economista do Deral (Departamento de Economia Rural) do Núcleo Regional da Secretaria Estadual da Agricultura e Abastecimento (Seab) em Cornélio Procópio, Santo Pulcinelli Filho disse que os produtores de trigo tiveram um ano de 2008 dos mais difíceis. Isso porque quando foi para plantar o produto, estava na faixa de 40 a 42 reais e hoje o mercado está pagando na faixa de 26 a 27 reais. “Isso fica difícil para os triticultores, porque os preços não cobrem nem mesmo os custos de produção”, observou. O técnico lembra que esta situação ocorre porque o Brasil não é auto suficiente na produção de trigo. O país, de acordo com ele, importa cerca de 5 milhões e 700 mil toneladas de trigo por ano e o consumo anual está próximo de 11 milhões de toneladas.

Assinala, contudo, que este ano movido pelas boas condições climáticas, o país está produzindo 5 milhões e 427 mil toneladas de trigo. Segundo o economista, a grande oferta nesse período é responsável pela redução de preço pago aos produtores. Santo Pulcinelli Filho culpa o governo pelo Brasil não atingir até agora a auto suficiência na produção de trigo. Ele acredita, inclusive que, desestimulados, os produtores vão plantar menos trigo na safra de 2009. O especialista ressalta que o Paraná é o maior produtor de trigo. O estado participou na safra deste ano com 53% da produção nacional de trigo. “O custo de produção do trigo superou a casa dos 30 reais e, no entanto, o preço mínimo estabelecido pelo governo federal é de apenas 28 reais e 80 centavos”, apontou. Ele atribuiu o problema da redução do preço mínimo pago ao produtor ao excedente de trigo na ordem de 1 milhão e 523 mil toneladas.

De acordo com o economista do Deral, a região de Cornélio Procópio respondeu este ano por pelo menos 21% do trigo colhido no Paraná. Segundo ele, foram plantados nos 23 municípios da região do Núcleo da Seab 170 mil hectares; A produtiva ficou entre 450 a 500 mil toneladas, com rendimento médio de mais de 2 mil 680 por hectare de trigo plantado, superando as expectativas dos triticultores. Ele recomenda que diante das dificuldades existentes no momento o produtor deve procurar a agência local do Banco do Brasil para candidatar-se ao EGF (Empréstimo do Governo Federal). Esse empréstimo, lembra, é feito com prazo de 180 dias, com a taxa de juros estipulada em 6.75% ao ano. O limite para cada produtor é até o máximo de R$ 400 mil e para cooperativas e agroindústrias na faixa de até R$ 10 milhões.

Milho e soja - O economista do Deral informou ainda que, na safra de verão 2007/2008, foram plantados 53 mil hectares de milho e colhidos 355 mil e 100 toneladas, uma média de 6 mil e 700 quilos por hectare plantado. No caso da soja, Santo Pulcinelli Filho afirmou que foram plantados 257 mil hectares para uma produção de 740 mil 160 toneladas. Isso, de acordo com ele, representa uma produtividade média de 2 mil 880 quilos por hectare. Na opinião do técnico, a região de Cornélio Procópio contribuiu de maneira significativa para o resultado da safra de grãos no Paraná, que continua sendo o Estado recordista na produção de grãos do país.

O técnico enfatizou que os preços de produtos básicos, como arroz, feijão e óleo de soja já estão cedendo nos supermercados. Frisa que o óleo de soja, por exemplo, teve seu preço reduzido, dando mais folga no bolso do consumidor. Santo Pulcinelli Filho alerta, porém, que a crise financeira internacional pode trazer sérias conseqüências para os produtos agrícolas brasileiros em 2009. “O consumidor deve ficar atento e só comprar o necessário”, pede.

Frutas - A região de Cornélio Procópio tem hoje uma área plantada de pelo menos 6 mil e 500 hectares de frutas, com destaque para a banana que ocupou espaço de 2 mil 839 hectares na safra de 2006, seguido da uva (foto) com mil e 48 hectares, abacate 346 hectares, laranja 191 hectares, pêssego 106 hectares e goiaba 36 hectares. A afirmação é do economista do Deral (Departamento de Economia Rural) do Núcleo Regional da Secretaria Estadual da Agricultura e Abastecimento (Seab), Santo Pulcinelli Filho. Ele acredita, inclusive, em aumento na área plantada de frutas, uma vez que muitos produtores estão aderindo à fruticultura nos 23 municípios da região de Cornélio Procópio.

Por sua vez, o técnico da Emater local, Manoel Pessoa Lira disse que a fruticultura já é uma realidade na região de Cornélio Procópio, porque tem sido uma fonte maior de lucro para os produtores rurais, cansados de colher prejuízos com as culturas tradicionais devido as adversidades climáticas e pouco incentivo do governo. Ele afirmou que esses produtores aguardam com expectativa de que seja implantada pela Cooperativa Agrícola Integrada no município de Cornélio Procópio a tão propalada unidade de suco de laranja, que vai gerar empregos e renda. Uma decisão nesse sentido deve ser anunciada oficialmente ainda este ano, acredita Manoel Pessoa Lira. “Isso seria a redenção econômica do município que hoje já tem a Companhia Iguaçu de Café Solúvel”, observou.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.