Relação de troca com boi magro piorou 8,0% desde o início do ano em Minas Gerais
CI
Boi

Relação de troca com boi magro piorou 8,0% desde o início do ano em Minas Gerais

Questão que ronda o mercado neste momento diz respeito aos resultados do segundo giro do confinamento
Por:

A questão que ronda o mercado neste momento diz respeito aos resultados do segundo giro do confinamento. Do ponto de vista do custo com alimentação, o avanço da colheita do milho nas principais regiões produtoras e a maior disponibilidade interna têm pressionado as cotações para baixo. Portanto, aproveitar estes preços mais frouxos é uma estratégia a ser considerada para garantir margens confortáveis.  

Já em relação aos preços dos animais de reposição, desde o início do ano, o preço do garrote (9,5@) subiu 3,0% em Minas Gerais e as referências do boi magro (12@) aumentaram 0,8%. Porém, o preço do boi gordo recuou 7,3% neste mesmo período. Em função deste movimento o pecuarista perdeu poder compra. A troca com o garrote piorou 10,0% e com o boi magro 8,0%.  

Contudo, a tendência é de que, conforme avança a entressafra, as cotações da arroba do boi gordo ganham sustentação, além disso o menor número de animais confinados no primeiro giro deve colaborar com esta recuperação de preços. Portanto, considerando que patamares melhores de relação de troca estão por vir, até mesmo porque a ponta vendedora está perdendo a capacidade de barganha, um ambiente de negócios mais favorável para os resultados do segundo giro do confinamento em 2018 está se desenhando.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink