Relar reúne especialistas em microrganismos do solo do hemisfério Sul

Agronegócio

Relar reúne especialistas em microrganismos do solo do hemisfério Sul

Aproximadamente 350 inscritos estão participando da XXVIII edição da Reunião Latinoamericana de Rizobiologia
Por:
608 acessos

Aproximadamente 350 inscritos estão participando da XXVIII edição da Reunião Latinoamericana de Rizobiologia, que começou hoje, dia 6 de junho, em Londrina (PR). Promovida pela Associação Latinoamericana de Rizobiologia (ALAR), a Reunião é uma realização da Embrapa Soja e do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar).  Participaram da solenidade de abertura: o diretor-presidente do Iapar, Florindo Dalberto, representando o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado do Paraná, Norberto Ortigara, o chefe-geral da Embrapa Soja, José Renato Bouças Farias, o primeiro presidente do grupo fundador da ALAR, Carlos Labandera, a pesquisadora da Embrapa Soja e presidente do evento, Mariangela Hungria e o pesquisador do Iapar, Arnaldo Colozzi Filho, do Núcleo Paraná da Sociedade Brasileira de Ciências do Solo.

A sessão de abertura da Relar foi sobre Biodiversidade e Taxonomia e contou com cinco palestras sobre os estudos de biodiversidade realizados no México, no Brasil, na Argentina, no Peru e na Austrália. Um dos destaques nessa sessão foi a palestra Explorando simbioses tolerantes a estresses ambientais, proferida pelo professor Graham O´Hara, da Universidade de Murdoch, na Austrália. "As tecnologias que envolvem a microbiologia do solo tanto no Brasil quanto na Austrália são intercambiáveis", diz O'Hara. "Temos interesse nos estudos do Brasil com bactérias fixadoras do nitrogênio nas mais variadas culturas e também podemos contribuir com resultados obtidos na Austrália", explica o palestrante. O'Hara destacou estratégias utilizadas na Austrália para permitir o cultivo de leguminosas e forrageiras em condições de estresse, incluindo temperaturas elevadas, deficiências hídricas, solos ácidos e alcalinos.  

Proporcionar a troca de conhecimento científico e fortalecer as parcerias entre os países do hemisfério Sul - América Latina, Caribe, África e Oceania – e justamente o tema central da Relar. "A escolha do tema foi definida pela identificação de que as parcerias Sul-Sul podem ser muito mais eficientes no tema de microrganismos destinados à agricultura do que as parcerias Norte-Sul", explica a presidente do evento, Mariangela Hungria, pesquisadora da Embrapa Soja.

Também nesta segunda-feira, esta ocorrendo a sessão Ciências "Ômicas" em que serão apresentados os resultados de estudos de genômica obtidos com plantas e microrganismos por especialistas da Argentina, Chile, Espanha, Uruguai e México.

Tema do evento - As vantagens econômicas e os benefícios ambientais dos microrganismos usados na fixação biológica do nitrogênio irão permear todas as discussões da Relar. "O debate envolve desde pesquisa básica, como por exemplo, entender e até melhorar a ação dos microrganismos nas plantas, assim o trabalho das instituições de pesquisa e o papel da indústria que é responsável por fazer chegar esses produtos até os agricultores", diz a pesquisadora da Embrapa Soja e presidente do evento, Mariangela Hungria.

Para as gramíneas, como é o caso do milho, trigo, arroz, cana-de-açúcar, as bactérias promotoras do crescimento de plantas (BPCP) vêm sendo cada vez mais utilizadas. "Essas bactérias atuam por uma série de mecanismos, sendo um dos principais a produção de hormônios do crescimento de plantas, que resultam em maior produção de raízes, parte aérea e produção de grãos", diz a pesquisadora.

A Relar é também uma oportunidade, segundo Arnaldo Colozzi, do Iapar, para entender como os agricultores usam os produtos biológicos, quais produtores poderiam adotar a tecnologia, porque não estão usando e ainda como transferir essas tecnologias.

O programa da XXVII Relar conta com 40 palestras, de representantes de 14 países da América do Sul, Central, Europa, África e Austrália. A ampla programação técnica inclui resultados de pesquisas em ciência básica e também envolve discussões de tecnologias aplicadas e produtos comerciais  que já fazem parte do dia a dia dos agricultores. Outro ponto alto do evento e a sessão de apresentação de 164 trabalhos científicos de participantes de diversos países, no formato de pôsteres.

Lançamento de livro - Também está sendo lançado o livro de metodologias Working with Rhizobia (Trabalhando com Rizóbios), editado por J.G.Howieson e M. J. Dilworth. A publicação detalha as principais metodologias para permitir aos cientistas desenvolver trabalhos com bactérias fixadoras do nitrogênio. O livro conta com estudos de pesquisadores brasileiros, com destaque para a contribuição da Embrapa Soja. A publicação esta disponível para download gratuito (aciar.gov.au).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink