Ritmo de MT embala plantio no país

Agronegócio

Ritmo de MT embala plantio no país

Plantio está praticamente finalizado na região oeste de Mato Grosso
Por:
1152 acessos

Com a semeadura da safra 2016/17 de soja praticamente encerrado no oeste mato-grossense, o ritmo empregado por todo o Estado vai cadenciando a evolução dos trabalhos no país. Conforme dados divulgados pela consultoria AgRural, o plantio em Mato Grosso atingiu no final da semana passada 90% da área plantada e no Brasil, 63%. De acordo com a AgRural, há um ano, 77% da área estava plantada com a oleaginosa.

“Com 90% de sua área já plantada, Mato Grosso segue como o destaque positivo deste início de safra. Apesar de alguns problemas pontuais de falta de umidade, as lavouras se desenvolvem bem. Além disso, o plantio acelerado deixa uma boa janela para a semeadura da safrinha de milho, que em alguns casos poderá ser iniciada já no fim de dezembro, caso tudo corra bem com a colheita da soja”, avalia a analista Daniele Siqueira.

A região oeste de Mato Grosso, com cerca de 1,11 milhão de hectares disponíveis à soja, fechou a última semana com 99,52% da área coberta, o que conforme outro levantamento, este feito pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), é a localidade mais adiantada do Estado, seguida pela médio norte.

O Centro-Oeste está com 88% da área plantada contra 77% há um ano. Mesmo puxando o ritmo dos trabalhos no país, o Mato Grosso do Sul de destaca com a maior área total coberta: 95%, contra 94% em igual momento de 2015. No entanto, o ritmo empregado em Mato Grosso é o que faz a diferença no saldo do país, já que o Estado lidera a produção de soja no Brasil e cultiva a maior área, mais de 9,30 milhões de hectares estão previsto para o atual ciclo.

A analista da AgRural, Daniele Siqueira, pontua que o plantio da safra brasileira de soja chegou a 63% da área prevista ante 53% na semana passada, 60% um ano atrás e 67% na média de cinco anos. No Sul, o plantio segue ligeiramente atrasado devido ao excesso de umidade no solo do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, mas as chuvas diminuíram e os trabalhos já avançaram mais rapidamente nos últimos dias.

No Paraná, “chuvas muito bem-vindas” atingiram a região oeste na última sexta-feira (11), mas a irregularidade das precipitações tem preocupado os produtores do norte do estado, onde o solo tem perdido umidade. Também há queixas de falta de chuva em pontos de Mato Grosso do Sul, especialmente em áreas de solo mais arenoso, mas chuvas de boa intensidade também foram registradas em parte do estado até o dia 11.

O leste de Goiás, que também estava seco, recebeu bons volumes na semana passada. O noroeste de Minas Gerais segue seco, mas deve receber chuvas generosas nos próximos dias, assim como extensas áreas do Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste.

No Matopiba, a volta das chuvas anima os produtores e o plantio avança. Mesmo assim, áreas pontuais semeadas em meados de outubro no Tocantins e no Piauí terão que ser replantadas após um período mais seco após o plantio.

A produção brasileira de soja na safra 2016/17 é estimada pela AgRural em 100,4 milhões de toneladas, com aumento de 0,6% na área plantada.
 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink