RO termina campanha de vacinação da aftosa com destaque nacional

Agronegócio

RO termina campanha de vacinação da aftosa com destaque nacional

O Estado está prestes a entrar para a lista de estados livres da febre aftosa, sem precisar de campanhas maciças de vacinação
Por:
4 acessos

Em contato com a imprensa na dessa quinta-feira (21-06), o deputado estadual Luiz Cláudio (PTN-Porto Velho), disse que Rondônia mais uma vez se destaca no cenário nacional. Desta feita, segundo o deputado que já foi Secretário da Agricultura, Rondônia está prestes a entrar para a lista de estados que estão livres da febre aftosa, sem precisar de campanhas maciças de vacinação.

Luiz Cláudio explicou que com o término da atual campanha de vacinação contra a febre aftosa, o rebanho bovino do estado adquiriu um status de saúde invejável. Tanto é que, de acordo com as explicações do parlamentar, hoje, somente o Estado de Santa Catarina está no mesmo status de área livre de febre aftosa sem necessidade de campanhas de vacinação.

Porém, o deputado Luiz Cláudio faz questão de ressaltar que isso não significa que os pecuaristas poderão descuidar da vacinação normal dos seus rebanhos, o que está-se falando, disse ele, é na não necessidade de campanhas pesadas para evitar-se focos da doença, pois disseminamos o mal de nossos pastos.

Essa conquista, explicou Cláudio, demonstra a credibilidade que o Estado de Rondônia adquiriu junto aos órgãos federais responsáveis pela saúde animal. Esse trabalho conjunto entre pecuaristas e os órgãos públicos afins como Idam, Emater, Seapes, SFA, Secretaria Municipal da Agricultura, Fefa e outros, tem sido reconhecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e foi o que possibilitou se chegar ao nível de sanidade com referências internacionais.

“Nem por isso vamos relaxar, temos que continuar o controle intenso de nossas fronteiras e temos que lutar pela informatização geral do setor através dos órgãos envolvidos, e buscarmos no mais curto espaço de tempo, a alocação de mão de obra de profissionais para o setor, através de concurso público” afirmou Luiz Cláudio.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink