PORTO ARGENTINO

Rosario bate Santos e New Orleans na exportação de soja

Capacidade de processamento é o segredo do sucesso do porto que fica à margem do Rio Paraná
Por: -Leonardo Gottems
483 acessos

O complexo agroexportador agrícola da grande Rosario, na Argentina, já é o maior complexo portuário exportador de soja do mundo porque exporta 39,36 milhões de toneladas da oleaginosa. As informações são de estudo assinado pelos analistas Julio Calzada e Federico di Yenno, da Bolsa de Comércio de Rosario.

“Com quase 40 milhões de toneladas de soja e derivados embarcados em 2016, a grande Rosario superou ao Distrito Aduaneiro de New Orleans, nos Estados Unidos, e ao complexo portuário de Santos, no Brasil. De fato, a grande Rosario fornece 44% do comércio global de farelo de soja e 50% do óleo de soja,” diz o informe. Com base nesses dados, os analista sustentam que a “grande Rosario é o nó portuário exportador de soja mais importante do mundo”.

Os analistas lembraram que a grande Rosario já ostentava um lugar de privilégio ao ser considerado o “complexo oleaginoso industrial mais importante a nível mundial pelo grau de concentração geográfica de suas fábricas azeiteiras e sua capacidade de moagem”.

“Com um total de 39,36 milhões milhões de toneladas despachadas de grão, farelo e azeite de soja no ano de 2016, a Grande Rosario se converteu no complexo portuário de soja mais importante a nível mundial,” enfatizou os analistas.

O relatório dos analistas da Bolsa destacou que Rosario superou ao Distrito Aduaneiro de Nova Orleans, na área conhecida como de influência do Golfo do México, no estado de Luisiana, ficou no segundo lugar com 38,96 milhões de toneladas exportadas em 2016. No terceiro lugar, no volume exportado, fica o complexo portuário de Santos.

“Se são contabilizadas todas as cargas, seja de grãos, líquidos ou contêineres, o complexo do porto de Santos é o mais importante da América Latina por volume comercial. Mas se são olhados só os despachos de soja e produtos derivados, a Grande Rosario supera amplamente o porto de Santos com 20 milhões de toneladas a mais de mercadorias enviadas ao exterior”.

Os analistas atribuíram o resultado a quantidade de indústrias processadoras presentes na região. “A concentração geográfica de um número importante de fábricas de processamento a uma distância menor de 70 quilômetros à direita do rio Paraná com 20 plantas e 19 terminais portuários”, diz o relatório. Além disso, foram citadas as empresas líderes no processamento de soja como Renova, Molinos Río de La Plata e VI, que juntas tem uma capacidade de processamento de 20 mil toneladas por dia.

“Dito de forma prática, cinco de cada 10 barcos que transportam farelo ou azeite de soja no mundo saem dos terminais portuários da grande Rosario”, afirmou os especialistas da mesma cidade.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink