Rotação de pastagens melhora produção de leite

Agronegócio

Rotação de pastagens melhora produção de leite

Adoção do pastejo rotacionado pode melhor aproveitamento da forragem
Por:
3899 acessos
Adoção do pastejo rotacionado para melhor aproveitamento da forragem produzida e aumento da produtividade

A superlotação e a degradação das pastagens estão entre as principais dificuldades enfrentadas pelos produtores de leite da região Norte, sobretudo os donos de pequenas propriedades. Para ajudá-los a aumentar sua produção, a Embrapa Acre (Rio Branco/AC) recomenda a adoção de um conjunto de tecnologias, entre as quais o pastejo rotacionado. No Prosa Rural, o pesquisador da Embrapa Acre, Carlos Maurício Andrade, traz recomendações detalhadas para a adoção da técnica.

Segundo diagnóstico realizado em duas propriedades representativas da pecuária leiteira praticada na região Norte, entre os entraves para o aumento da produção estão, além da questão genética, deficiências na alimentação do gado e nas práticas de manejo. O pastejo rotacionado e o uso de cerca elétrica são alternativas para solucionar estes problemas.

Conforme Andrade o uso associado destas tecnologias possibilita a permanência de uma maior quantidade de animais no pasto e ajuda a manter as pastagens em boas condições. “Esses dois fatores influenciam diretamente na produtividade do leite e na longevidade das pastagens”.

“Identificamos os pontos críticos e propusemos aos produtores a adoção de tecnologias desenvolvidas ou recomendadas pela Embrapa. Após quatro anos de trabalho, os resultados já são expressivos. Na propriedade do senhor Manoel Cunha, em Assis Brasil, a produção de leite praticamente dobrou, aumentou de 662 quilos para 1.317 quilos de leite em cada lactação” afirma o pesquisador.

Em relação, especificamente, ao pastejo rotacionado, o produtor de Rio Branco, Sidnei Zamora, afirma, em seu depoimento ao programa, que com a adoção da técnica, conseguiu aumentar em até 30% a lotação de animais no pasto. O produtor chama atenção para a importância de seguir as recomendações quanto à altura do capim no momento de entrada e de saída dos animais do piquete: “pra cada forrageira o produtor tem que usar as informações geradas pela pesquisa para que esse capim seja bem utilizado”.

Saiba mais sobre este assunto ouvindo o Prosa Rural - o programa de rádio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Responsável: Priscila Viudes
Email: priscila@cpafac.embrapa.br
Unidade: Embrapa Acre
 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink