Ruraltins

Ruraltins muda realidade da agricultura familiar com crédito rural

Tudo que tenho, me dá condições de criar minha família.
Por: -Iranilde Gonçalves
59 acessos

Para o presidente do Ruraltins a intenção do órgão é intensificar cada vez mais as ações que possibilitem atender os agricultores para que todos aqueles que tenham condições legais possam acessar as linhas de crédito que estão disponíveis.

O atendimento da assistência técnica e extensão rural tem em seus objetivos promover a sustentabilidade, por meio de políticas públicas e atividades que proporcionem as famílias rurais, melhores condições de se organizarem, bem como se desenvolverem economicamente.


Como exemplo, na região de Gurupi, no sul do Estado, destacamos o agricultor familiar Delfino Barbosa de Araújo, da comunidade Larguinha, que com apoio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins), mudou consideravelmente a qualidade de vida, o aumento da produção e renda.

De acordo com o agricultor, a união e força de vontade da família, aliadas as ações da assistência técnica, prestadas pelo escritório local do Ruraltins, do município de Gurupi, que o acompanha desde os primeiros passos na propriedade, orientando quanto às práticas agrícolas e o acesso às linhas de créditos específicas, a exemplo do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf), melhoram em 70% a vida da família.  Ele conta que o primeiro contrato de crédito aconteceu em 2004, quando fez um projeto para aquisição de dez vacas leiteiras. Desde então, seu rebanho já ultrapassa cento e cinquenta cabeças, sem contar com as outras criações e produções, como suínos, avicultura, produção de leite, que chega a quatro mil litros/mês, queijo e requeijão. Devido à experiência e aos excelentes resultados, o agricultor já está em seu quinto projeto, todos elaborados pelo Ruraltins, se tornando uma referência para os produtores do estado.

"Tudo que tenho, me dá condições de criar minha família. Agradeço a Deus e aos técnicos do Ruraltins, que fizeram meus projetos. Sem o apoio e incentivo deles eu não teria chegado aonde cheguei. Fiz meu primeiro projeto para comprar dez vacas de leite e hoje, só vacas, já tenho cem, fora as outras coisas que fui adquirindo com os recursos da venda do leite e queijos, que também retirei desse valor o pagamento das parcelas dos projetos de crédito. Os outros quatros projetos foram também para investir na propriedade, sendo: cobertura de um barracão, formação de 10 alqueires de pasto, aquisição de mais vinte vacas de leite e u ma ordenha, e outro crédito de custeio para alimentação dos animais. Me sinto muito feliz e realizado e não pretendo buscar outra assistência", comentou a agricultor, que além de vender sua produção na feira local e para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na modalidade Compra Direta, destina cerca de quatro mil litros de leite ao comércio local (sorveteria), pois na propriedade consta um tanque para resfriamento do alimento, sendo a maior renda do agricultor proveniente do leite, que mantem tudo. O leite é considerado pelo agricultor como o carro chefe da propriedade.

Para Ribanêz de Sousa, supervisor regional do Ruraltins em Gurupi, o Pronaf é uma das principais ferramentas para o desenvolvimento das comunidades rurais. "Quando pensamos em desenvolvimento, aumento da produtividade e melhores condições de vida e do trabalho, para que os agricultores familiares possam crescer, o acesso às linhas de crédito do Pronaf é a melhor saída, pois com juros baixos, recursos subsidiados e linhas específicas para os pequenos agricultores e uma assistência de qualidade, que o governo do estado disponibiliza, os agricultores são fortalecidos e valorizados", frisou o supervisor.    

Segundo Rafael Massaro, gerente de crédito rural do Ruraltins, em 2016 por meio das ações dos extensionistas, "o Ruraltins disponibilizou via banco do Brasil e Banco da Amazônia, mais de R$ 50 milhões aos agricultores familiares, sendo o Pronaf, a linha mais acessada, por ser uma política pública específica e direcionada aos pequenos agricultores". Ainda de acordo com Massaro, para a safra 2017/2020, está previsto a aplicação de R$ 380 milhões, sendo R$ 300 milhões via Banco do Brasil e R$ 80 milhões via Banco da Amazônia.

Para o presidente do Ruraltins, Pedro Dias, a intenção do órgão é intensificar cada vez mais as ações que possibilitem, aos técnicos, atender os agricultores para que todos aqueles que tenham condições legais possam acessar as linhas de crédito que estão disponíveis.

"Buscamos promover diversas atividades que promovam o desenvolvimento e fortalecimento da agricultura familiar em todo estado, focadas na sustentabilidade ambiental, produtiva, organizacional e social, aliada às políticas públicas disponibilizadas pelo governo federal e estadual, a exemplo do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf). A nossa intenção é fortalecer cada vez mais esse processo e promover uma maior inclusão das famílias que vivem no campo, e assim torna-las autossustentáveis e donas do seu próprio negócio", comentou o presidente.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink