Agronegócio

Safrinha de alto rendimento com CD 3612PW: expedição percorre Sudoeste do Paraná

A proposta desse evento, organizado pela Coodetec, é apresentar o híbrido na lavoura
Por:
1268 acessos

A primeira rodada da Expedição 3612, que tem como objetivo promover um intercâmbio tecnológico de alto investimento para safrinha, reuniu cerca de 60 técnicos e agricultores em Francisco Beltrão e Pérola D´Oeste/PR, nos dias 07 e 08 de junho. O primeiro grupo partiu do entreposto da Coasul de Francisco Beltrão/PR e depois visitou as propriedades de Gilmar Grassi e da família Citadin. O segundo grupo, que se reuniu na unidade da Coagro, de Pérola D´Oeste, teve a oportunidade de visitar quatro lavouras em Pérola D´Oeste e Pranchita/PR:  Armando Vilani, Rui Melo, Almerindo Bressan e Ademar Scherer.

“Estamos muito contentes. A qualidade desse milho é excelente. O CD 3612PW é muito bom e em comparação com os demais, é bem mais resistente às doenças. Inclusive minha lavoura virou referência para a vizinhança, que também irá plantar na próxima safrinha”, afirmou o produtor de Francisco Beltrão, Zelindo Citadin.

A proposta desse evento, organizado pela Coodetec, é apresentar o híbrido na lavoura, com o manejo utilizado pelo agricultor da região. O agrônomo da Coagro, Muriel Gustavo Lorscheider aprovou o formato da Expedição. “O grande nome da Safrinha 2017 será o CD 3612PW. Conseguimos ver o material na lavoura, de fato, e com certeza recomendaremos esse híbrido para a abertura do plantio da safrinha.” Lorscheider ainda fez questão de destacar a resistência ao acamamento e também o tipo de grão: “Trabalhamos com ração na nossa região e o 3612, além de todos os diferenciais, se destaca por ter mais proteína, além de estar de pé, outro ponto fundamental, pois muitos outros híbridos não resistiram.”

O agrônomo da Coopavel de Realeza, Ademir Fano também gostou muito do que viu e enfatizou a resistência ao acamamento como um ponto forte do híbrido. “É um baita material, com sanidade e resistência ao acamamento incomparáveis. Ficamos ainda mais tranquilos em relação à recomendação técnica, pois tivemos a oportunidade de ver em épocas distintas, em quatro lavouras, com manejos diferentes.”

Na agenda da Expedição, faremos mais 40 saídas nas regiões de safrinha do Brasil, que vão do Paraná, passando pelo Mato Grosso, até Vilhena, em Rondônia. “Queremos apresentar, justamente, os diferenciais desse híbrido que está excelente nas lavouras, de Sul a Centro, com sanidade foliar, qualidade de grãos, tolerância a períodos de estiagem, além do ciclo que possibilita ampla adaptação”, comentou a supervisora de Desenvolvimento de Produto, Flávia Vieira.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink