Saiba as recomendações para os citricultores no inverno
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,782 (-0,26%)
| Dólar (compra) R$ 5,38 (2,78%)

Imagem: Pixabay

ATENÇÃO

Saiba as recomendações para os citricultores no inverno

O inverno é uma estação que exige cuidados específicos dos citricultores
Por: -Aline Merladete
529 acessos

O inverno é uma estação que exige cuidados especificos dos citricultores. No estado de São Paulo, desde o outono até o final do inverno há falta de chuva e este é um alerta importante. 

O Instituto Agronômico (IAC), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, alerta que a estiagem nos pomares paulistas pode causar estresse hídrico nas plantas e, neste caso, são necessários cuidados com a manutenção das frutas nas plantas, principalmente para as variedades de maturação precoce à meia-estação, que estão maduras justamente nessa época do ano.  O estresse causado pelo déficit hídrico e pelo frio é necessário para que os citros floresçam abundantemente, a partir de setembro. Por isso, o citricultor só deve irrigar suplementarmente seus pomares, no inverno, em casos extremos de seca, evitando a queda das frutas.

Nesse período, diversas variedades de citros estão em fase de colheita. Nos meses de maio e junho, destaca-se o final da colheita das laranjas precoces, como Hamlin, Westin, Rubi e outras. Também nesses dois meses, tem-se o início da colheita de laranjas de maturação de meia-estação, com destaque para a Pêra.

“Dentre as tangerinas, estamos em plena colheita da tangerina Ponkan, frutas que estão, no momento, em grande disponibilidade aos consumidores, por isso, além dos cuidados com a manutenção das frutas nas plantas, os citricultores devem seguir as recomendações técnicas de colheita para cada espécie”, diz Fernando Alves de Azevedo, pesquisador do IAC, da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA).

Na citricultura paulista, a colheita é feita manualmente, dependendo exclusivamente de mão de obra especializada, que muitas vezes vem de outros estados, principalmente da região Nordeste do país. Este ano, em decorrência da pandemia da COVID-19, o setor está apreensivo com a colheita. Para evitar atrasos, estão sendo feitas adequações, especialmente em relação à segurança dos colhedores, para não comprometer o abastecimento, principalmente das indústrias.

Segundo Azevedo, para uma colheita eficiente, o citricultor deve se ater aos procedimentos adequados para cada espécie. Ele relata que os frutos destinados à indústria são acondicionados em caixas ou sacolas de 27 kg, sem muitos cuidados que evitem o amassamento dos frutos. Já para o consumo in natura, a cautela é maior. “Quando se colhe uma tangerina para mesa, deve-se utilizar tesouras, cortando o pedúnculo individualmente, o mais curto possível, para uma fruta não machucar a outra”, diz.

Os trabalhadores acondicionam as tangerinas em sacolas ou caixas, evitando exceder 20 kg de frutas. “Na citricultura de mesa há maior cuidado durante a colheita para não amassar os frutos e também o uso de caixas e sacolas menores para guardá-los, de modo a facilitar a seleção por tamanho e cor”, diz o pesquisador do IAC.

Para evitar contaminações das frutas por pragas e doenças, outra recomendação é não deixar as frutas no solo. Após a colheita, o encaminhamento para a packing house ou a indústria deve ser feito o mais breve possível e as frutas devem permanecer sempre na sombra.  “As frutas cítricas têm uma boa vida de prateleira, entre a colheita e o envio para as gôndolas dos mercados correm cerca de quatro a cinco dias e elas ainda podem ser consumidas com qualidade por até 3-4 semanas após a colheita”, conta.

De acordo com o pesquisador do IAC, há projetos para viabilizar a mecanização da colheita na cultura, porém ainda são apenas protótipos. “Fora do país, principalmente na Flórida, é mais comum colherem laranjas para a indústria de forma mecanizada”, afirma.

Informações da Secretaria de Agricultura de SP.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink