Seca no sul: Argentina começa receber primeiras chuvas
CI
Agronegócio

Seca no sul: Argentina começa receber primeiras chuvas

Chuva irá beneficiar especialmente a cultura da soja ainda em desenvolvimento
Por:
As primeiras chuvas começaram a cair essa semanas em toda a Argentina aumentando as esperanças dos agricultores argentinos que o tempo pode agora melhorar. As chuvas foram bastante difundidas em todo o centro da produção de milho e soja e e irá beneficiar especialmente a cultura da soja ainda em desenvolvimento.


Infelizmente para a safra de milho na Argentina, grande parte dos danos da seca que já foi feito e as perdas são irreversíveis. O dano principal foi durante a polinização, quando as condições quentes e secas resultaram em fraca polinização e crescimento dos grãos.

Além disso, as condições de seca no mês de dezembro e início de janeiro impediu agricultores desde o plantio do restante dos 600 mil hectares da área pretendida para cultivar milho. Com as chuvas recentes, agora é esperar que algum agricultor vá rapidamente tentar plantar seu milho restante. Apenas aqueles agricultores que receberam uma boa chuva esta semana vão tentar plantar milho nesta data tardia. Se eles não receberam uma chuva generosa, eles vão ter que esperar para a uma nova precipitação e por esse tempo chega, pode ser tarde demais para plantar milho. Se os agricultores não podem plantar todo o milho que se destinem, eles podem decidir mudar algumas de suas áreas destinadas a plantar milho para a produção de soja.


A cultura da soja na Argentina com certeza vai se beneficiar das chuvas recentes. A soja plantada mais cedo está florescendo e formando vagens, e a soja plantada mais tarde está começando a florar ou ainda em desenvolvimento vegetativo. Até esta semana, o crescimento da soja tinha sido muito lento e atrofiado, mas com as chuvas recentes, a colheita poderá começar a se recuperar.

Há ainda cerca de 2,5 milhões de hectares de soja plantados e a maioria não são da soja safra dupla depois do trigo. A safra de Soja dupla na Argentina vai até o final de janeiro, mas para cada semana que o plantio está atrasado as perspectivas de rendimento continuarão a declinar.


O vizinho da Argentina, Paraguai, vem sofrendo com a seca do mesmo jeito que a Argentina e sul do Brasil. O vice-ministro da Agricultura do Paraguai anunciou recentemente que a seca pode causar uma perda de produção na faixa de 40% para os pequenos agricultores familiares. Ele confirmou que a soja tem sido impactada significativamente no Paraguai e a soja é a principais exportação do país. O ministro também informou que há problemas com o milho, algodão, carne bovina e produção de leite no Paraguai também. Infelizmente para os pequenos agricultores do país, estas culturas são a sua principal fonte de renda.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.