Seca prejudica lavouras no Centro-Oeste

Agronegócio

Seca prejudica lavouras no Centro-Oeste

Ela deve atrasar e prejudicar o plantio de grãos, principalmente do milho
Por: -Juan Velásquez
235 acessos

Uma estiagem surpresa e localizada apenas em algumas regiões dos estados do Centro-Oeste nos últimos 15 dias está causando tensão entre produtores da região. Ela deve atrasar e prejudicar o plantio de grãos, principalmente do milho. Levantamento da Clima Tempo mostra que uma massa de ar quente está bloqueando a formação de chuvas. Os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, que tem recebido nos últimos dois meses até o dobro de quantidade média de chuvas normal nesta época, apresentaram, apenas em algumas regiões, um nível muito abaixo da média nos últimas duas semanas.

Segundo o meteorologista da Clima Tempo, André Madeira, houve chuvas abaixo de 25 ml no Centro Sul e Leste do Mato Grosso; Sul, Sudoeste e Sudeste de Goiás e também regiões do MS. Sendo que algumas destas regiões receberam, nos últimos dois meses até 200 ml a mais do que a média, que fica entre 150 e 200 milhões.

"Este fenômeno não tem um tempo certo para acontecer. Mas costuma fazer isso mesmo, há chuvas normalmente em algumas regiões e outras ficam sem água", diz. A previsão, entretanto, é de que nesta semana já volte a chover. A consequência da estiagem será uma produtividade menor, principalment do milho. "Isso porque ele já foi todo plantado, e com a estiagem a broca (inseto) entra na planta e come o que dá ao milho o potencial de crescimento. Ainda não é possível avaliar a perda, mas isso trará produtividade menor está trazendo muita tensão aos produtores, já que em um ano de custo muito alto, qualquer má notícia pode prejudicar muito", diz o vice-presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado de Goiás (OCB-GO), Antônio Carlos Borges.

Ele lembra que, na semana passada já houve fator de tensão. "As chuvas foram de granizo e destruíram parte de lavouras, o que já deixou produtores apreensivos", diz. Segundo o produtor, embora não haja como quantificar perdas, elas ocorrerão, com certeza, na produtividade, já que além de estressar as plantas, a seca dá espaço para a broca, praga comum desta cultura, prejudicar o resultado final da lavoura. "Isso trará perda de produtividade lá na frente", diz Borges. A lavoura de soja também pode ser prejudicada pela estiagem localizada, já que alguns produtores tiveram de interromper a plantação de soja devido à estiagem. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estava apostando no aumento de produtividade para o aumento de até 3,7% na produção para esta safra.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink