Secretário afirma que todo o setor do leite foi prejudicado no RS
CI
Agronegócio

Secretário afirma que todo o setor do leite foi prejudicado no RS

Mainardi convocou reunião para propor medidas que evitem fraudes
Por:
Mainardi convocou reunião da Câmara Setorial do Leite para propor medidas que evitem fraudes

O secretário da Agricultura do Rio Grande do Sul, Luiz Fernando Mainardi, avaliou que todo o setor do leite foi prejudicado, com descrédito por parte do consumidor, após a confirmação de venda de produto adulterado em investigação do Ministério Público. Ele falou duran reunião extraordinária da Câmara Setorial do Leite, na sede da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa).


Segundo Mainardi, os eventos demonstram com clareza que o Estado precisa avaliar o sistema como um conjunto, como acontece nas Câmaras Setoriais, principalmente no que se refere às questões de sanidade e inspeção. "Precisamos virar a página e resgatar a credibilidade do setor. O nosso sentimento é de construir uma reação forte para comprovar a qualidade do nosso leite", assegurou o secretário.

O presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados (Sindilat/RS), Wilson Zanatta, defendeu que não houve negligência por parte da indústria, uma vez que já eram exigidos 21 testes. Ele salientou que somente a partir de 18 de fevereiro que o teste específico para detecção do formol passou a ser cobrado pelo Ministério Público.


Para Gilberto Piccinini, representante da Organização das Cooperativas do Rio Grande do Sul (Ocergs), é necessário ter serenidade "essa é a oportunidade que temos para corrigir os erros e pensar o futuro. Ao invés de destacar culpados precisamos aproveitar o momento para organizar a cadeia".

Mainardi propôs um conjunto de medidas para evitar fraudes. Entre elas, a necessidade de reforçar as equipes de fiscalização, o que pode ocorrer mediante a contratação emergencial ou efetivação do concurso já aprovado para a Defesa Agropecuária do Estado. Outro ponto sugerido pelo secretário foi a adesão, pelo Estado, da Instrução Normativa nº. 62, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que, por meio de normas técnicas mais rigorosas regulamenta a produção, identidade e qualidade do leite.


Também foi proposto o aumento do crédito presumido em contrapartida à adesão das indústrias que atuam com fiscalização estadual ou municipal ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA). O crédito deveria ser usado para que estes laticínios investissem na melhoria das suas plantas industriais. Outras medidas devem ser negociadas internamente no Governo e com os integrantes da Câmara Setorial, na expectativa de que possam ser anunciadas na abertura da Expoleite, marcada para o próximo dia 16, no Parque de Exposições Assis Brasil.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.