Seminário debate a criação de avestruz no Ceará

Agronegócio

Seminário debate a criação de avestruz no Ceará

Por:
336 acessos
Sobral. Incentivar a criação de novos negócios no setor de Estrutiocultura (pecuária de avestruz) na zona norte é o objetivo do I Simpósio da Estrutiocultura da Zona Norte do Ceará, que acontece hoje, a partir das 8h, no Centro de Convenções de Sobral. O Simpósio é gratuito, aberto ao público, e pretende reunir criadores de avestruz do Ceará já consolidados, demais produtores locais de outros setores, empresários, Organizações Não Governamentais (ONGs) e instituições legalizadas. A iniciativa é da Prefeitura de Sobral, através da Secretaria da Tecnologia e Desenvolvimento Econômico e Secretaria da Agricultura e Pecuária de Sobral. Para este simpósio, os organizadores esperam aproximadamente 250 pessoas.


Para Luiza Lúcia Barreto, Secretária da Tecnologia e do Desenvolvimento Econômico do município, “a idéia é criar um espaço propício para troca de informações, disseminação do conhecimento científico, tecnológico, bem como criar mobilização e formação de grupos de produtores de avestruz, além da viabilização de negócios”.


Políticas públicas

Na programação do evento, constam palestras sobre as atuais políticas públicas de apoio e fomento à estrutiocultura, ministrada pelo secretário estadual de Desenvolvimento Agrário, Camilo Santana; apresentação da PecNordeste 2009, com Antônio Bezerra Peixoto, coordenador do evento no Estado; apresentação das linhas de financiamento do Banco do Nordeste para micro e pequenos empresários; bem como das condições de viabilização socioeconômica da criação de avestruz, com Raimundo Luiz Furtado Arruda, presidente da Associação Cearense de Criadores de Avestruz (Aceca).


Para o pecuarista Edmundo Vieira Filho, que já presidiu a Aceca, vale a pena continuar apostando na estrutiocultura. “O projeto tem que ser entregue a pessoas sérias que acreditam no investimento e não a aventureiros como aconteceu anteriormente. O governador Cid Gomes está dando total crédito ao projeto, por isso temos que manter este elo entre o governo e o criador”, disse Vieira Filho. “O criador tem que se preocupar é com a qualidade da pele do animal, uma vez que o mercado está aberto para a fabricação de utensílio com o couro. A carne, que chegou a custar R$ 60,00, hoje não passa de R$ 25,00”, avaliou.


Outro ponto destacado por ele e com relação aos investimentos feitos no Estado, especificamente na região norte, uma vez que o parque industrial montado pela empresa Aravestruz, se encontra totalmente desativado.

Mais informações:

I Simpósio da Estrutiocultura da Zona Norte do Ceará
Hoje, a partir das 8h
Centro de Convenções de Sobral
(88) 3611.4421/ 3611.5923
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink