Seminário irá discutir as potencialidades e os desafios da cafeicultura na região Chapada de Minas

Agronegócio

Seminário irá discutir as potencialidades e os desafios da cafeicultura na região Chapada de Minas

A cidade de Capelinha, no Vale do Jequitinhonha, recebe a sétima edição do Seminário do Café da Região Cafeeira  Chapada de Minas.
Por:
312 acessos

No dia 20 de outubro, a cidade de Capelinha, no Vale do Jequitinhonha, recebe a sétima edição do Seminário do Café da Região Cafeeira  Chapada de Minas. O evento irá discutir questões importantes para o desenvolvimento e fortalecimento da cadeia produtiva do café na região, que  abrange municípios do Norte e Nordeste de Minas, nos vales do Jequitinhonha, Rio Doce e Mucuri.

O seminário acontece a partir das 7h30, no Galpão Cultura, na rua Arlindo José de Oliveira, s/n, bairro Acácias. O evento irá abordar os impactos das mudanças climáticas na cafeicultura, a qualidade do café como fator de sustentabilidade, e o cenário do setor na perspectiva dos mercados nacional e internacional.

A iniciativa é da Emater-MG, Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Capelinha (ACIAC) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A promoção conta ainda com o apoio de prefeituras, Câmaras Municipais, associações e sindicatos de produtores. Mais informações: 33 3516-3636/2028.

Cafeicultura na região

De acordo com o gerente regional da Emater-MG, Valmar Gonçalves de Sousa, a cafeicultura tem grande importância econômica e social para diversos municípios da  Chapada de Minas. “Temos um parque cafeeiro de 31 mil hectares, com 5,3 mil cafeicultores. Desse total 4,8 mil são agricultores familiares”, afirma. O gerente ainda ressalta que a atividade gera 4 mil empregos diretos e 8 mil indiretos.

Valmar Gonçalves lembra que a altitude e o clima da região cafeeira favorecem a produção de grãos de qualidade. Na safra 2015/2016 foram produzidas na região cerca de 450 mil sacas de 60kg. A produção destina-se aos mercados regional e nacional.

O gerente da Emater-MG também aponta desafios para a atividade, como a melhoria da qualidade dos grãos, fortalecimento do cooperativismo entre os cafeicultores, maior qualificação dos produtores e produção de cafés especiais. Todos esses pontos serão debatidos durante o seminário.

Para superar esses desafios, a Emater-MG em parceria com diversos parceiros tem realizado diversas ações. Entre elas está, por exemplo, um convênio entre o Ministério da Agricultura e a Emater-MG para a prestação de assistência técnica aos cafeicultores, elaboração de material técnico e capacitação de técnicos e produtores. Até o momento, por meio dessa parceria, foram atendidos 260 cafeicultores. A previsão é que esse número chegue a 780 no próximo ano.  
 
Outra ação é o desenvolvimento do Certifica Minas Café na região. O programa é uma iniciativa do governo estadual, executado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio da Emater-MG e do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). O Certifica Minas Café incentiva o equilíbrio entre produção e meio ambiente. O cafeicultor tem de cumprir 100 itens para conseguir a certificação de sua propriedade. No final do processo, a propriedade passa por uma auditoria independente e recebe um certificado. Atualmente a região Chapadas de Minas tem 10 propriedades certificadas pelo programa.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink