Agronegócio

SENAR-RS seleciona quatro finalistas para CNA Jovem etapa nacional

Quatro projetos destacaram-se e representarão o estado em Brasília, na etapa nacional do programa.
Por:
403 acessos

Encerrou neste sábado (18/6) a etapa do CNA Jovem no Rio Grande do Sul. Quatro projetos destacaram-se e representarão o estado em Brasília, na etapa nacional do programa. A iniciativa é realizada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e, no Rio Grande do Sul, foi promovida em parceria com o Sistema Farsul e Sindicatos Rurais.

Os jovens Camila Telles, Fernanda Gehling, Mariana de Oliveira e Milton Borges abordam temas como a comunicação estratégica, conservação dos solos, evasão de mão de obra no meio rural e a gestão ambiental.

Camila, formada em Relações Públicas, desenvolveu um projeto sobre a comunicação sendo utilizada de forma estratégica, valorizando o agronegócio e fortalecendo o relacionamento entre produtores, sindicatos rurais e a sociedade. O trabalho, realizado em Cruz Alta, pode ser adaptado a qualquer região. “A comunicação é uma área dentro do setor do agronegócio que merece mais atenção. Eu foquei a pesquisa na minha região, mas ela pode ser realizada em qualquer cidade e Estado. O CNA me deu a motivação que eu precisava para por em prática este trabalho, fazendo com que ele possa ser compartilhado com produtores e sindicatos rurais de todo o país”.

Entender e buscar soluções para conter a falta de mão de obra no meio rural na região de Camaquã foi o que levou Fernanda a participar do CNA Jovem. “Hoje em dia há uma alta rotatividade no trabalho do campo. Quais os fatores que impedem os trabalhadores de morarem na fazenda? Quais são as necessidades deste trabalhador? Com o apoio do SENAR-RS foi possível aumentar a amostragem, resultando em dados mais precisos, permitindo buscar soluções que possibilitem que o trabalhador fique no campo por mais tempo, mantendo a qualidade de vida que teria no centro urbano”.

Em acordo com a Lei nº12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Mariana analisou a implementação do gerenciamento de resíduos sólidos no campo, na região de Palmeiras das Missões. “Em um primeiro momento, quando fala-se da gestão ambiental, alguns produtores ficam desconfiados, mas iniciando o trabalho de cadastro ambiental e mostrando que o projeto é um auxílio à produção, resultando em benefício não só ambiental, mas também nos custos, temos um retorno positivo dos produtores e dos sindicatos rurais”.

Buscando aliar seus conhecimentos em gestão ambiental com o agronegócio, Milton Borges estabeleceu uma parceria entre os produtores, sindicatos rurais e o âmbito acadêmico. “Com o projeto, agora implementado pela Unipampa de São Gabriel, é possível aproximar estes produtores com a universidade, aumentando o conhecimento de mecanismos de gestão, reduzindo o impacto ambiental, aumentando práticas de conservação do solo e, consequentemente, aumentando também a renda destes produtores rurais”.

Inovação no meio rural

É possível destacar, nos projetos selecionados, a preocupação em tratar de temas pertinentes ao meio rural, de forma competente e inovadora. Os trabalhos abordam a forma como o agronegócio se relaciona com a sociedade, buscando soluções para os questionamentos por meio de ações positivas.

O superintendente do SENAR-RS, Gilmar Tietböhl, ressaltou o trabalho do grupo e as competências utilizadas no desenvolvimento de cada projeto. “É fundamental conhecer o assunto que se vai abordar e, desta forma, os trabalhos apresentam uma alta qualidade, demonstrando o engajamento no meio rural e a preocupação com este setor. As ações selecionadas são muito positivas e com potencial para gerarem frutos”.

Para o gestor do CNA Jovem no Estado e chefe da Divisão de Inovação e Ações Especiais do SENAR-RS, Taylor Guedes, a seleção dos jovens para a etapa estadual foi fundamental para o bom resultado do trabalho. “Por meio de indicações da Farsul e dos sindicatos rurais, foi possível reunirmos jovens envolvidos com as questões de suas regiões. Cada um trouxe um desafio e a partir daí, conseguimos lapidar as ideias, tornando-as viáveis para a sua região. Buscamos durante todo o trabalho utilizar uma metodologia de fácil aplicação, que estes jovens possam utilizá-la em seus projetos futuros, sejam eles de liderança ou na sua profissão”.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink