Setor arrozeiro solicita apoio para comercialização de grãos em Brasília
CI
Agronegócio

Setor arrozeiro solicita apoio para comercialização de grãos em Brasília

A reunião poderá determinar o futuro dos preços do arroz no Sul do Brasil
Por: -Janice
Brasília – Representantes do setor orizícola do Rio Grande do Sul se reúnem nesta terça-feira (26), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF), para encaminhar demandas e definir mecanismos para comercialização do arroz. A reunião poderá determinar o futuro dos preços do arroz no Sul do Brasil. Participam o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do RS (Federarroz), Renato Rocha, o diretor comercial do Instituto Rio Grandense do Arroz, Rubens Silveira, o diretor administrativo e presidente da Câmara Setorial do Arroz, Francisco Schardong, dos Vice-Presidentes de Mercado, Marco Tavares e da Regional Planície Costeira Interna, Daire Coutinho Neto, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, o ministro-adjunto da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Gerardo Fontelles, e do ministro-adjunto da Fazenda, Gilson Bittencourt.

O encontro entre as lideranças arrozeiras aborda a grave crise de comercialização do arroz e a necessidade urgente de mecanismos governamentais para dar sustentação ao mercado.

Segundo o presidente da Federarroz, Renato Rocha, a expectativa do setor é de que os três ministros já anunciem medidas efetivas e urgentes para a comercialização do arroz.

Segue abaixo os pleitos do setor arrozeiro gaúcho para Comercialização da safra 2009/2010:

a. Liberação imediata de R$ 50 milhões em Prêmio de Escoamento de Produto (PEP) para movimentar 500 mil/t de arroz (base casca);

b. Liberação imediata de R$ 50 milhões para Prêmio de Risco para Aquisição de Contrato Privado de Opção de Venda (PROP), para a 500 mil toneladas de arroz (base casca);

c. Liberação imediata de R$ 300 milhões para leilões de Contratos de Opções Públicas, para 500 mil/to arroz (base casca), nos moldes da safra 2008/2009;

d. Ajustes no Programa de Estímulo a Produção Agropecuária Sustentável (PRODUSA), pois no atual formato nenhum produtor teve acesso aos recursos.

2. Volume de recursos e Mecanismos de Comercialização para dar suporte a safra 2010/2011:

a. Em Empréstimos do Governo Federal - EGF: R$ 700 milhões;

b. Em Contratos de Opções Públicas: R$ 500 milhões;

c. Em Prêmio de Risco de Opção Privada - PROP e Prêmio de Escoamento de Produto - PEP: R$ 200 milhões.
d. Em Aquisição do Governo Federal - AGF e Programa de Aquisição de Alimentos - PAA: R$ 100 milhões;

Volume total: R$ 1,5 bilhões de reais.

As informações são da assessoria de imprensa do Instituto Rio Grandense do Arroz com informações da Federarroz.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink