Soja brasileira segue subindo, descolada de Chicago

MERCADO BRASIL

Soja brasileira segue subindo, descolada de Chicago

Produto local valorizado, apesar de queda na CBOT e no Dólar norte-americano
Por: -Leonardo Gottems
1376 acessos

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a terça-feira (05.11) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas para exportação subindo 0,19%. Isso elevou a média para R$ 87,71/saca, contra R$ 87,54/saca do dia útil anterior.

“A cotação da soja em Chicago teve queda de 0,43%, o dólar também teve queda, de 0,47%, mas, mesmo assim, os preços que os compradores ofereceram sobre rodas nos portos do sul do Brasil ou seus equivalentes em outros estados, tivessem alta”, explica o analista da T&F Consultoria Agroeconômica, Luiz Pacheco. 

No interior o preço teve alta de 0,18%, para R$ 82,45/saca, contra R$ 82,30 do dia anterior. No mercado físico do Rio Grande do Sul os preços reportados ficaram inalterados ao redor de R$ 88,00, spot, no porto. Em Passo Fundo os preços reportados ficaram em R$ 85,50, spot, e em Ijuí ficaram na faixa de R$ 85,50. No Paraná, preços reportados continuaram na faixa de R$ 78,00, balcão, subiram para R$ 87,00, spot, na região de Ponta Grossa e R$ 81,50 futuro, também em Ponta Grossa. No porto os preços reportados subiram para R$ 90,00, para dezembro.

CHINA

Ainda de acordo com a T&F, a China continuou “quieta” nessa terça-feira, contudo, se confirmaram os rumores reportados ontem da compra de 2 cargos de soja americana no Golfo do México e um do Brasil, para abril. O mercado intermediário de Paper de Paranaguá negociou fevereiro a + 48,50H e março a +40,41H.

“Mercado atento para a valorização do YUAN, que voltou para a faixa de 6,9945/US$, na esteira da evolução das negociações entre China e EUA. Os prêmios da soja nos portos brasileiros não foram reportados para dezembro, subiram 1 cent para fevereiro e para março, ficaram estáveis para abril, subiram 3 cents para maio, 4 cents para junho e caíram 5 cents para julho”, conclui Pacheco.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink