MERCADO FÍSICO

Soja cai forte também no Brasil

Mesmo com a alta de 0,17% no Dólar
Por: -Leonardo Gottems
1067 acessos

As cotações da soja tiveram na segunda-feira (19.03) um dia de fortes quedas no mercado físico brasileiro, sofrendo pressão das desvalorizações da Bolsa de Chicago (CBOT). De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, em média os preços desceram 0,64% nos portos e 1,36% no interior do País.

O analista da T&F Luiz Fernando Pacheco ressalta que a alta de 0,17% do dólar não compensou a derrocada da soja em Chicago, reduzindo a alta acumulada dos preços no Brasil este mês para apenas 0,54%, contra 1,19% da última sexta-feira. Enquanto isso, a baixa dos preços no interior puxou a alta do mês para 1,08%, contra 2,48% na sexta-feira.
 
“Estas quedas ocorreram mesmo com a alta de 0,17% no dólar e foram resultado dos cálculos para a exportação, a partir das cotações de Chicago, que sofreram forte tomada de lucros, ante alguns fatores baixistas fundamentais, como chuvas relativamente boas na Argentina e exportações decepcionantes de soja americana”, explica Pacheco.
 
A T&F aponta que as “atitudes intempestivas do presidente Trump, desafiando a China em duas ocasiões (impondo tarifas sobre as importações de aço e alumínio e mais uma taxa geral de US$ 60 bilhões sobre outras importações chinesas) parecem ter como consequência, uma represália à soja americana que, embora não deixe de ser comprada, o será em volumes menores, porque a preferência já foi desviada para a soja brasileira, cujas exportações atingiram 5,4 milhões de toneladas somente nas duas primeiras semanas de março. Como consequência, Chicago tenderá a cair mais”. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink