Agronegócio

Soja em alta nos EUA com maior demanda chinesa - Análise Agrolink

Menor produção na Argentina e baixa disponibilidade no Brasil
Por: -Leonardo Gottems
2993 acessos


A Bolsa de Cereais de Chicago registrou nesta segunda-feira (14.10) alta de 6 centavos de dólar no preço da soja nos contratos de Novembro deste ano, fechando em US$ 12.73. Ajudaram a sustentar os rumores de aumento na demanda chinesa por soja dos EUA, devido à menor produção na Argentina e baixa disponibilidade de soja no Brasil.

 
Traders acreditam que a colheita está em cerca de 45% completa. Mas, com uma previsão de tempo seco no médio prazo, o tema não parece estar gerando muitas preocupações.
 
Durante a noite, o mercado foi negociado no nível mais baixo desde 16 agosto, mas a forte demanda da China ajudou a sustentar. Falou-se no fim de semana que os asiáticos podem ter comprado entre 200 e 250 mil toneladas de soja dos EUA na semana passada, mas sem atualizações das vendas de exportação é muito difícil de confirmar.

 
O tempo inclina-se ao baixista, com chuvas esparsas no início desta semana seguidas por tempo seco ao longo das próximas semanas, o que vai acelerar a colheita. Áreas de cultivo da América do Sul também vão receber chuvas consistente nas próximas semanas. As estimativas chinesas de produção oficiais foram divulgadas, com a soja em 12,5 milhões de toneladas, em comparação com o recente relatório do USDA de 12,2 milhões de toneladas.

 
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink