Soja reage e cotação fecha a R$ 30,6 em Maringá (PR)
CI
Agronegócio

Soja reage e cotação fecha a R$ 30,6 em Maringá (PR)

O ritmo dos negócios no PR diminuiu, mas a recomposição dos preços voltou a animar
Por:

A queda nas bolsas de valores de todo o mundo, desencadeada pela China, derrubou também o preço da soja em Chicago. Isso afetou a cotação do grão no Brasil. No Paraná, o ritmo dos negócios diminuiu, mas a recomposição dos preços voltou a animar os produtores.

A queda no preço da soja vem de longe, lá de Chicago, mas os reflexos chegam rapidamente aqui. "O efeito é imediato. Nós somos ligados on-line, simultâneos, ou seja, todas as oscilações que acontecem no pregão de Chicago acabam afetando nosso negócio no mesmo momento", comenta o gerente comercial da Cocamar, José Cícero Aderaldo.

Para os produtores do Paraná foi um balde de água fria nos negócios que estavam começando a aquecer com a nova safra. Os produtores ficaram surpresos porque nos últimos tempos a soja só vinha subindo. No porto de Paranaguá, no Paraná, dez dias atrás a saca estava em R$ 35,00. No interior do Estado, como em Maringá, chegou a R$ 31,50. No início da semana passada chegou a R$ 28,50 e na sexta, 9, fechou a R$ 30,6.

Para quem está colhendo a safra o jeito agora é esperar um pouco para ver se os preços reagem. É o que vai fazer o produtor João Dolphini, que só vendeu 10% do que colheu. "Temos esperança que o preço volte a se recuperar. Por enquanto a soja que está sendo colhida vai ficar depositada. Vamos aguardar preço para ela", diz.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink