Soja volta do feriado em alta no Brasil

MERCADO FÍSICO

Soja volta do feriado em alta no Brasil

O que está dando suporte aos preços internos é a demanda nos três estados do Sul
Por: -Leonardo Gottems
986 acessos

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a sexta-feira (1º.03) com preços médios da soja avançando 0,10% nos preços sobre rodas nos portos, para R$ 78,14/saca. No interior, a alta foi ainda maior: de 0,40%, para R$ 73,36.

“Mesmo com uma queda acentuada em Chicago (de 1,57%), a alta do dólar (de 1,47%) se mostrou mais forte no Brasil e permitiu avanços. O que está dando suporte aos preços internos é a demanda nos três estados do Sul, onde os preços do farelo de soja estão subindo levemente, puxados pela maior demanda, devido ao ‘desvio’ do milho para exportação, que obrigou as fábricas de ração a buscar alternativas (muito embora o farelo de trigo não esteja nem cotado)”, explica Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica. 

Já nos estados do Centro-Oeste, os preços caíram, tanto da soja quanto do farelo, justamente devido a uma menor demanda do setor de carnes. “Na exportação, foi a necessidade de completar alguns lotes já negociados com o exterior que fizeram algumas Tradings elevar ligeiramente os preços, embora isto não represente o preço médio do dia”, completa Pacheco.

Então, qual seria a direção dos preços da soja? Segundo o especialista, tudo depende do acordo China/EUA, que não sai do papel: “O mercado de soja, a médio e longo prazos, continua cheio de incertezas, como já vimos afirmando de longa data. Incertezas quanto ao dólar, que poderá cair se a Reforma da Previdência passar e subir se ela não passar ou for muito alterada; incerteza quanto a Chicago, que poderá subir se houver acordo com a China ou cair, se não houver; incertezas quanto aos prêmios de exportação, que poderão cair pela metade do que estão se houver acordo entre China e EUA ou subir muito, se não houver acordo”.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink