Sojicultor da região de Rondonópolis (MT) preservou o “vazio”
CI
Agronegócio

Sojicultor da região de Rondonópolis (MT) preservou o “vazio”

No ano passado, nenhum produtor da região descumpriu a lei que proíbe o plantio de soja irrigada durante a entressafra
Por:

No ano passado, nenhum produtor da região descumpriu a lei que proíbe o plantio de soja irrigada durante a entressafra. O resultado foi o atraso em até 40 dias na data da primeira aplicação de fungicida para combater a ferrugem asiática. O engenheiro agrônomo e responsável pela área de Defesa Vegetal da unidade do Indea em Rondonópolis, Antônio João Moreira Calaça, diz que com o vazio sanitário a doença demorou mais para se instalar nas lavouras.

Calaça considera ainda que o vazio sanitário é uma medida que só traz benefícios ao produtor. Além do atraso no aparecimento do primeiro foco da doença, ele destaca que também houve redução no número de aplicações de fungicidas, o que significa economia para o agricultor. “O produtor só precisa ter consciência e cumprir a legislação. Não há nenhum ônus, apenas benefícios”, frisa.

Data:

Sojicultores de algumas regiões do Estado, entre elas de Primavera do Leste (123 km de Rondonópolis), solicitaram ao Indea a mudança na data do vazio sanitário. O objetivo era prorrogar o prazo em 15 dias – passando a ser entre 30 de junho e 30 de setembro. Contudo, até agora a proposta ainda não foi aceita. Para Calaça, para este ano a alteração não será mais possível, pois não há mais tempo para mudar a data do vazio sanitário.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink