Sorriso e Sapezal são destaque no Brasil
CI
Agronegócio

Sorriso e Sapezal são destaque no Brasil

Dos 100 municípios brasileiros com maior valor adicionado bruto da agropecuária, 21 são de MT
Por:
Na relação dos 100 maiores municípios brasileiros com maior valor adicionado bruto da agropecuária, 21 são de Mato Grosso, com Sorriso e Sapezal ocupando, respectivamente, a 3ª e 4ª posições. Pelo estudo do IBGE, a riqueza obtida da agropecuária em 2009 totalizou R$ 647,021 milhões em Sorriso e R$ 636,862 milhões em Sapezal.


Outras cidades mato-grossenses que figuram entre aqueles que mais agregaram valor pela agropecuária são Diamantino (9º), Nova Mutum (13º), Lucas do Rio Verde (15º), Itiquira (23º), Juara (24º), Nova Ubiratã (26º), Campos de Júlio (29º), Pedra Preta (58º), Querência (63º), Rondonópolis (65º), Brasnorte (70º), Tapurah (75º), Poxoréo (79º), Sinop (81º), Marcelândia (82º), Tangará da Serra (83º), Cáceres (90º) , Santa Rita do Trivelato (92º) e Novo São Joaquim (99º).

Na análise do maior valor adicionado bruto da indústria, Rondonópolis figura ocupa a 82ª posição nacional, com saldo de R$ 1,797 bilhão, ficando à frente da capital Cuiabá, que ocupa a 86ª posição e saldo de R$ 1,711 bilhão. Lidera o ranking a capital paulista, com R$ 66,864 bilhões, seguida do Rio de Janeiro (R$ 20,989 bilhões), Manaus (R$ 15,907 bilhões) e Campo dos Goytacazes (R$ 14,253 bilhões).


Em Rondonópolis, segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Valdemir Castilho Soares, o crescimento do município está associado principalmente à atração de novas empresas, que aumentou 58% neste ano, em comparação com 2010. “Entre 2009 e 2010 foram criadas 1,9 mil empresas e, em 2011, foram mais 3,004 mil”. Indústrias implantadas no município atuam em diferentes segmentos, como metalúrgica, têxtil, bebidas e fertilizantes.

“Nosso forte não tem sido a atividade agropecuária, porque a área plantada tem se mantido”. Em Sorriso, a geração de riqueza está atrelada tanto à produção agrícola, especialmente soja e milho, quanto à industrialização. De acordo com o secretário municipal de Indústria, Comércio e Turismo, Zilton Mariano de Almeida, a área plantada de soja no município aumentou 10%. “Desenvolvimento se acentuou principalmente após a crise de 2008, tanto no agronegócio quanto na produção industrial”.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.