Subcomissão que irá tratar restrições na produção de cana é oficializada
CI
Agronegócio

Subcomissão que irá tratar restrições na produção de cana é oficializada

Doze parlamentares irão participar das atividades que iniciam após eleições
Por:
Doze parlamentares irão participar das atividades que iniciam após eleições
 
A Câmara dos Deputados oficializou a criação da subcomissão que irá tratar a produção e industrialização da cana-de-açúcar em Mato Grosso e em alguns estados no Nordeste. A informação foi confirmada pelo deputado e presidente da subcomissão, Nilson Leitão (PSDB-MT) nesta quinta-feira (27).

Os trabalhos da subcomissão vão iniciar após o recesso branco, período em que os parlamentares interrompem as atividades para participar do final das campanhas municipais. "O primeiro assunto que vamos debater é o veto do Conselho Monetário Nacional (CMN) restringindo linhas de financiamento para o plantio e industrialização da cultura", afirmou o deputado ao Agrodebate.

Além de Nilson Leitão, outros 11 parlamentares vão compor as atividades da subcomissão. "Não queremos o fim das regras, mas queremos que tenha critérios".

As discussões sobre criação da subcomissão iniciaram no dia 8 de maio durante uma audiência pública da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados. Na ocasião os parlamentares avaliaram a possibilidade técnica do fim da restrição do plantio da cana na região Norte do Brasil e em Mato Grosso, como prevê a Lei de Zoneamento Agroecológioco da Cana-de-açúcar.

A Lei de Zoneamento foi sancionada em 2009 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em Mato Grosso, nas áreas que fazem parte das bacias do Paraguai, do Pantanal e da Amazônia é proibida a expansão do cultivo. Além das restrições de plantio, a lei veda a concessão de crédito rural e agroindustrial à produção e a industrialização de cana-de-açúcar, açúcar e biocombustíveis.

"Queremos derrubar o preconceito e ideologias que envolvem a produção de cana. Além disso, queremos mostrar o potencial da produção de etanol brasileira", ressaltou o parlamentar.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink