Sucesso de público, Seminário Erva-mate XXI traz novas perspectivas ao setor ervateiro

Agronegócio

Sucesso de público, Seminário Erva-mate XXI traz novas perspectivas ao setor ervateiro

O setor de erva-mate tem muito a crescer, tanto em produtividade quanto em qualidade
Por:
394 acessos

O setor de erva-mate tem muito a crescer, tanto em produtividade quanto em qualidade. Novos produtos e mercados também mostram um horizonte importante e promissor para a cadeia produtiva. Estas são algumas das reflexões feitas durante o "Seminário Erva-mate XXI: modernização no cultivo e diversificação do uso da erva-mate", que aconteceu em Curitiba/PR de 5 a 7/10.

O evento reuniu cerca de 300 pessoas entre produtores rurais, empresários, técnicos, pesquisadores e formuladores de políticas públicas. Na programação, palestras e debates abrangendo todos os elos da cadeia produtiva: pesquisa científica, transferência de tecnologia, necessidades "dentro" e "fora da porteira", mercado, certificação, inovações, entre outros.

"O setor ervateiro passa por um momento em que são necessárias discussões sobre novos produtos, mercados e exportação, e inovação, além, é claro, dos desafios da pesquisa e atualização do sistema de produção da espécie para dar apoio a este salto", ponderou o coordenador do evento, Ives Goulart, da Embrapa Florestas. "E são estas potencialidades que foram discutidas, trazendo novidades tanto ‘dentro da porteira' quanto ‘fora'", explicou.

"Nosso objetivo com este evento foi chamar a atenção do setor ervateiro para as novas perspectivas de mercado, novas formas de manejo do cultivo e para as diversas possibilidades de usos da erva-mate, muito além do chimarrão", explicou Joel Penteado Jr, da Embrapa Florestas. "Institucionalmente, a nossa intenção era mostrar as opções que a Embrapa Florestas disponibiliza para melhorias no sistema de produção da erva-mate", completou. Segundo avaliação dos participantes, o evento pode ser considerado um marco para o setor ervateiro. Segundo José Bonato, extensionista da Emater/PR, "o evento superou as expectativas, foi excelente, abordando tudo sobre erva mate, com informações muito importantes para nosso dia-a-dia.

Para Ariana de Oliveira, Secretária de Turismo e Esportes de Ilópolis/RS, "o chimarrão nos apresentou a erva-mate, e agora a erva-mate está sendo apresentada para nós com todas as suas possibilidades e potencialidades. É isso o que representa esse evento aqui, um potencial para um setor cada vez mais pungente". Para Ilvandro Barreto, da Emater/RS, "o evento nos possibilitou a aproximação envolvendo todos os elos da cadeia produtiva, e isso foi notório nas apresentações. Temos que parabenizar a organização do evento pela seleção dos temas que aqui foram discutidos, que são temas atuais, são temas reais e, principalmente, as perspectivas para o futuro".

O evento mostrou as oportunidades do mercado de erva-mate e como as melhorias no sistema de produção podem auxiliar o produtor a se tornar mais competitivo. Historicamente, a erva-mate tem sido fundamental para a economia de muitos municípios do Sul do Brasil e, atualmente, é o principal produto não madeireiro do agronegócio florestal na região. O setor ervateiro, que já teve um ciclo econômico no qual era chamado de "Ouro Verde", passou por um longo período de estagnação, com consequente queda nos investimentos e no desenvolvimento de tecnologias. Atualmente, embora sem retomar as dimensões do passado áureo, o mercado ervateiro vem mostrando reação positiva e a descoberta do potencial da erva-mate pelo mercado internacional se mostra uma oportunidade de desenvolvimento.

O Seminário foi promovido pela Embrapa Florestas, Ibramate, Instituto de Florestas do Paraná, Instituto Emater Paraná, Associação dos Engenheiros Agrônomos do Paraná/Curitiba e Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

O evento teve patrocínio de: Chimarrão Bitumirim, Sindimate Paraná, Leão Alimentos e Bebidas, Heide Extratos Vegetais, Erva-mate Ximango, Golden Tree Reflorestadora, Menon e Veiga Arquitetura, Brehmer Equipamentos, Sanepar, Fundomate, Casa do Chimarrão, Chimarrão Shop, Chá da Serra, Monsanto BioAg e Restaurante Madalosso.

Entre os apoiadores institucionais: Federação dos Engenheiros Agrônomos do Paraná, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Epagri, Emater/RS, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Casa Familiar Rural de Cruz Machado, Matte Cultural, Museu Paranaense, Instituto Nacional de Tecnología Agropecuaria (INTA – Argentina), Instituto Nacional de la Yerba Mate (INYM - Argentina).

Veja a cobertura fotográfica do evento no perfil da Embrapa no Flickr. Clique aqui.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink