Suínos

Suínos/Cepea: enquanto Rússia deixa de comprar, China reforça aquisições

O desempenho ainda fraco das exportações têm prejudicado o mercado doméstico
Por:
28 acessos

A Rússia, que havia embargado a compra de carne suína brasileira oriunda de alguns frigoríficos em dezembro de 2017, interrompeu as aquisições da proteína em janeiro.

Por outro lado, a China, que havia reduzido as compras da carne suína brasileira em 2017, adquiriu 5,74 mil toneladas (ou 73,4%) a mais em janeiro/18 em relação a dezembro/17.

De acordo com colaboradores do Cepea, o desempenho ainda fraco das exportações têm prejudicado o mercado doméstico, que sente dificuldades em gerenciar a maior disponibilidade de carne.

Neste início de ano, a demanda interna retraída se mantém, resultando em pressões de compradores para redução de preços do animal e das carcaças. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink