Superioridade de Mato Grosso se confirma

Agronegócio

Superioridade de Mato Grosso se confirma

Se os números se confirmarem, a sojicultura estadual, que já é a maior do Brasil, avança mais 2,4%
Por: -Marianna Peres
1826 acessos

O 4° levantamento não traz novidades às estimativas já divulgadas anteriormente, mas assegura a liderança nacional nesta temporada

Os números do 4° levantamento da safra brasileira de grãos, realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no mês passado, e divulgado nesta quinta-feira (6), mantém Mato Grosso como o grande alicerce desta nova temporada agrícola. Sem revisar estimativas, o Estado segue como o maior produtor nacional de 2011 e perseguindo também mais uma quebra de recordes em área plantada e na produção da soja.

Se os números se confirmarem, a sojicultura estadual, que já é a maior do Brasil, avança mais 2,4% em área e 3,9% em produção, o que garantiria o melhor resultado em mais de 30 anos de soja em Mato Grosso. Para a cotonicultura, a grande vedete desta temporada, a Conab projeta em 2011 o mesmo período áureo registrado pela cultura na primeira metade da década do século XXI. Contabilizando também o título de maior produtor nacional, Mato Grosso irá responder por 50% do total nacional. De uma projeção de mais de 1,83 milhão de toneladas de pluma, o Estado ofertaria 935 mil a partir de meados de maio.

Apesar das boas notícias em relação à produção e sobre as tendências de mercado avaliadas pela Conab que asseguram demanda firme no mercado internacional – o que se traduz em preços acima de níveis históricos – Mato Grosso entra em estado de alerta em relação à rizicultura. O cereal acende neste ano a luz vermelha no campo. Se a área plantada ficar em 170 mil hectares (ha) como prevê a Conab – redução de 31% ante 246 mil da safra 09/10 – Mato Grosso registrará a menor área de toda a série histórica da cultura no Estado. Nos últimos 34 anos, a área plantada vem sendo reduzida drasticamente. Na safra 76/77, por exemplo, foram plantados mais de 1,5 milhão ha. Se a projeção para o próximo ano se confirmar, a atual safra estará ocupando pouco mais de 10% do que foi há três décadas, quando os produtores sulistas chegavam ao Estado e faziam do arroz a cultura para abertura de novas áreas. A queda na produção também será a menor, se atingir 514 mil t, ante 742 mil t, redução de 30,8%.

OS NÚMEROS – Na safra 10/11 o Estado ampliará de 19,46% para 20,69% a sua participação na produção total nacional. A área plantada passa de 9,11 milhões ha para 9,34 milhões, enquanto a cobertura nacional vai a 48 milhões.

São esperadas – entre grãos e fibras – 149 milhões de toneladas, das quais, 30,84 milhões, virão de Mato Grosso. Com a consolidação da projeção, Mato Grosso retoma o título de maior produtor nacional, posição já ocupada na safra 08/09. Paraná, principal concorrente, tem estimativa de queda de 5,2% e deverá atingir 29,71 milhões de toneladas.

CULTURAS – Para a cotonicultura estão previstas pela Conab a produção de 935 mil t, alta de 60,3% sobre as 583 mil t colhidas anteriormente. Outro percentual superlativo é em relação à expansão da área plantada, mais 43%. A cobertura com o algodão passa de 428 mil ha para 614 mil.

Para a soja as estimativas apontam para uma produção no Estado de 19,49 milhões t, 3,9% acima da safra 09/10. Em relação à área, o aumento é de 2,4%, já que a cobertura vai a 6,37 milhões ha ante 6,22 milhões no ciclo 09/10.

Em função do atraso no plantio da soja no último quadrimestre de 2010, o tamanho da safrinha de milho ainda depende do volume que será colhido de soja até meados de fevereiro, última chance para se cultivar o milho no Estado. Mesmo considerando o atraso no cultivo da soja e a possibilidades de fortes chuvas que poderão retardar a colheita – algo que está sendo registrado em vários polos estaduais de produção - Mato Grosso seguirá como o maior produtor nacional do milho safrinha. Segundo a projeção da Conab a área plantada está mantida em 1,9 milhão ha, porém, a produção estará 11,9% maior, ao passar de 7,70 milhões t para 8,62 milhões t.

BRASIL - A safra nacional de grãos deve chegar a 149,4 milhões de toneladas, com aumento de 0,1% ou cerca de 212 mil toneladas sobre a safra passada (149,2 milhões de toneladas).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink