Syngenta divulga resultados do primeiro trimestre de 2014
CI
Agronegócio

Syngenta divulga resultados do primeiro trimestre de 2014

Primeiro trimestre de 2014: vendas de US$ 4,7 bilhões
Por:
·         Forte início da safra europeia

·         Crescimento contínuo de mercados emergentes

·         Safra norte-americana atrasada pelas condições climáticas

·         No caminho para atingir a meta anual de crescimento das vendas

As vendas aumentaram 5% a taxas de câmbio constantes no primeiro trimestre de 2014. As vendas reportadas aumentaram 2% devido à desvalorização de uma série de moedas de mercados emergentes em relação ao dólar.

Vendas integradas

As vendas integradas aumentaram 5% a taxas de câmbio constantes, com um aumento de 2% no volume e de 3% nos preços. Na Europa, África e Oriente Médio, o crescimento de 10% foi impulsionado principalmente pela proteção de cultivos, com o início precoce da safra e grande pressão de plantas daninhas, doenças e insetos. Continuamos a crescer na CEI (Comunidade dos Estados Independentes) apesar da instabilidade política, pois a desvalorização da moeda local foi parcialmente compensada por aumentos nos preços.  Na América do Norte, o período prolongado de baixas temperaturas atrasou o início da safra norte-americana no cinturão de milho e a seca na Califórnia reduziu a demanda por inseticidas e fungicidas. O Canadá registrou crescimento significativo com a continuação do sucesso do tratamento de sementes VIBRANCE® e o aumento das vendas de semente de canola e beterraba sacarina.
Na América Latina, o ritmo de crescimento aumentou em relação ao quarto trimestre de 2013 apesar da estiagem no Brasil e na Argentina.

A grande infestação de lagartas contribuiu para o aumento significativo das vendas de inseticidas e retomamos as operações na Venezuela após a liquidação de um pagamento em atraso. As vendas do ELATUS™ progrediram bem no Paraguai e na Bolívia e o seu registro no Brasil foi anunciado em 28 de fevereiro. A região Ásia-Pacífico registrou crescimento sólido tanto em mercados desenvolvidos quanto em mercados emergentes. Na Australásia, as vendas de herbicidas, em particular, se beneficiaram do apoio de distribuidores às nossas ofertas de início da safra e das chuvas em março. Na China, as vendas da tecnologia AMISTAR® dobraram em virtude do seu crescimento nas culturas de arroz e vegetais. Houve um aumento significativo na demanda por proteção de cultivos e sementes na cultura de arroz no Sul da Ásia. 

Vendas das linhas de produtos

As vendas de herbicidas seletivos aumentaram 6% apesar do atraso da safra nos EUA. A Europa registrou crescimento substancial em milho e cereais: na América Latina, o aumento da incidência de plantas daninhas resistentes ao glifosato aumentaram a demanda. Em herbicidas não seletivos, o crescimento substancial do GRAMOXONE® mais que compensou a redução planejada no volume de glifosato. Emfungicidas, as vendas do novo fungicida SDHI (sigla em inglês para inibidor da succinato desidrogenase)SEGURIS® mais que dobraram, contribuindo para o crescimento amplo na Europa. Na América Latina, o crescimento de fungicidas atingiu dois dígitos com o aumento do uso em algodão. A expansão eminseticidas foi impulsionada pelo crescimento contínuo de DURIVO®, especialmente na América Latina.

O aumento da pressão de pragas e a substituição dos neonicotinoides impulsionaram as vendas do FORCE®na Europa. As vendas de tratamento de sementes caíram parcialmente em razão da suspensão dos neonicotinoides, incluindo CRUISER®, em algumas culturas na UE. As vendas na América Latina também caíram, em razão da redução da área plantada de milho. Os novos lançamentos incluíram o FORTENZA® na Argentina e o novo produto biológico CLARIVA™ para nematoide de cisto da soja nos EUA.

Em sementes, as vendas de milho e soja permaneceram inalteradas, pois os produtores dos EUA postergaram as decisões relacionadas à plantação. Na América Latina, as vendas refletiram uma queda na área plantada de milho safrinha no Brasil. As vendas do germoplasma de milho tropical na Ásia-Pacífico continuaram a crescer rapidamente. O crescimento de culturas extensivas diversas foi impulsionado pelo crescimento contínuo na CEI, parcialmente compensado pela queda na área plantada de girassol em outros países europeus. Em vegetais, a recuperação em mercados desenvolvidos continuou com a sólida expansão na Europa, enquanto as vendas na América Latina mantiveram sua trajetória de crescimento. O crescimento global de vegetais ajustado pela alienação da Dulcineia foi de 9%.

O segmento Lawn and Garden refletiu o crescimento modesto na Europa e a queda na América do Norte devido às condições climáticas. As vendas na América Latina e Ásia-Pacífico cresceram significativamente.
Mike Mack, Presidente, disse: “Tivemos um excelente início de ano apesar das condições climáticas adversas na América do Norte. Estamos mantendo a nossa expectativa de crescimento das vendas para nosso negócio de integrado de 6% a taxas de câmbio constantes. Como afirmamos em fevereiro, a queda dos custos de sementes levarão a um aumento da margem bruta em 2014.

Os gastos com pesquisa e desenvolvimento irão aumentar e chegar próximo ao limite superior do intervalo da meta de 9% a 10% das vendas. Considerando a desvalorização de uma série de moedas de mercados emergentes no primeiro trimestre, o impacto do câmbio no EBITDA anual provavelmente será de aproximadamente US$100 milhões, comparado à previsão anterior de US$50 milhões. Continuamos a prever um aumento significativo no fluxo de caixa livre antes das aquisições de aproximadamente US$1,5 bilhão”.

Uma apresentação sobre as vendas do primeiro trimestre de 2014 está disponível no endereçohttp://www.syngenta.com/q1-2014.
 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink