Syngenta investe na capacitação de agrônomos

Agronegócio

Syngenta investe na capacitação de agrônomos

Segundo balanço da companhia, em 2012, grupos treinados pela empresa são responsáveis por 40% da produção nacional de café
Por:
1601 acessos
A Syngenta, por meio de seu programa NUCOFFEE, fechará 2012 ultrapassando a marca de 100 técnicos extensionistas, que são vinculados a 22 cooperativas, treinados em pulverização de defensivos e manejo integrado na proteção de cultivos. Todos os treinandos assumiram o compromisso de repassar o aprendizado para outros 1.500 cafeicultores que já participam do programa NUCOFFEE por meio das cooperativas. Esse grupo de técnicos é associado a cooperativas que, juntas, são responsáveis por 40% de todo o café produzido no Brasil.


O treinamento consiste em duas séries de atividades, cada qual com 16 horas de duração. O conteúdo sobre pulverização oferecido pela empresa, realizado pelo especialista Luiz Cesar Pio, da Herbicat, tem o diferencial de uma abordagem que vai além da parte teórica, focando a prática no campo que é fundamental para uma capacitação técnica realmente efetiva. Os participantes manusearam equipamentos e realizaram diversos tipos de aplicação medindo a cobertura nas plantas e analisando todas as fases, desde a gota de pulverização até o equipamento completo. Jefferson Gitirana Neto, engenheiro agrônomo e proprietário da Agroteste, de Uberlândia (MG), ministrou em novembro uma atividade sobre o emprego complementar de soluções agrícolas a partir de seu projeto de pesquisa Sistema Integrado de Proteção de Plantas (SIPP). “O portfólio Café Forte, da Syngenta, está perfeitamente alinhado com essa filosofia de manejo, pois, além de alta eficiência com bom residual de controle, proporciona ainda modalidades seletivas de aplicações que preservam os inimigos naturais das pragas, contribuindo para o controle biológico”, destaca Gitirana Neto.


O objetivo principal do treinamento é oferecer todas as informações necessárias para que os cafeicultores possam tomar as decisões de controle e soluções acertadas frente aos problemas existentes no dia-a-dia da lavoura. “Capacitações como essa viabilizam o acesso à tecnologia a um grande número de produtores, sobretudo os pequenos, que participam da plataforma NUCOFFEE”, afirma Juan Gimenes, gerente de Novos Negócios da Syngenta NUCOFFEE. O executivo ressalta ainda os esforços da empresa no sentido de instituir as Boas Práticas Agrícolas, a partir de temas como segurança de produtos e do aplicador e cuidados com o meio ambiente, e como essa área pode contribuir para agregar ainda mais valor à cadeia de produção.


“Esse tipo de treinamento ajuda a capacitar os técnicos das cooperativas que, assim, podem repassar os conhecimentos aos cafeicultores. Além de ganhos de qualidade e produtividade, a cultura passa a se destacar também por ser mais segura e por representar menor impacto ambiental, complementando o pilar da rastreabilidade do programa NUCOFFEE”, analisa Rogério Araújo Pereira, coordenador do Departamento Técnico da Cooperativa Mista Agropecuária de Paraguaçu (MG).


A agenda de serviços NUCOFFEE prevê mais dois treinamentos – sobre planejamento de colheita e sobre técnicas adequadas para pós-colheita – para o primeiro semestre de 2013.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink