Tamanho da propriedade determina custo do documento

Agronegócio

Tamanho da propriedade determina custo do documento

Por:
1313 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.
Bandeirantes - O engenheiro agrônomo Paulo Zambon Junior, responsável pelo atendimento aos agricultores no Sindicato Rural de Bandeirantes, alerta que os produtores tenham bastante atenção quando forem providenciar o preenchimento do Cadastro Ambiental Rural. Como o documento exige o detalhamento da propriedade, ele aconselha que os produtores não tomem por base apenas o custo da mão de obra para fazer o trabalho. O ideal é que a pessoa tenha conhecimento do meio rural e tenha passado por treinamento específico, a exemplo do oferecido pela Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep).


O valor pago para o preenchimento do CAR varia de acordo com o tamanho da propriedade. O Sindicato Rural de Bandeirantes cobra R$ 150 para áreas com até quatro módulos (o que corresponde a 72 hectares em Bandeirantes). Acima desse tamanho, a propriedade precisa ser visitada pessoalmente por um técnico que fará as demarcações por meio de um GPS, de acordo com as coordenadas geográficas. Neste caso, o produtor gastará R$ 300 pelo preenchimento do CAR e mais R$ 20 por hectare para as demarcações.


Zambom alerta que, de olho em um nicho de mercado, estão surgindo escritórios não especializados e pessoas curiosas se oferecendo para prestar o serviço em busca de uma alternativa de renda, mesmo que eventual. (E.A.)
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink